Pedido “inacreditável” ao STF

Ministro-chefe Augusto Heleno reagiu fortemente ao pedido de apreensão do celular do presidente Jair Bolsonaro

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

Ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, o general Augusto Heleno Ribeiro Pereira classificou como “inconcebível e, até certo ponto, inacreditável” o pedido ao ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), para que o celular do presidente Jair Bolsonaro fosse apreendido.

Celso de Mello enviou a solicitação à Procuradoria Geral da República (PGR) diante de três notícias-crimes apresentadas por parlamentares e partidos. Nelas, são requeridos novos desdobramentos das investigações sobre a suposta interferência de Bolsonaro em ações da Polícia Militar.

Além do celular do presidente, o ministro também pediu a opinião da PGR sobre a apreensão do celular do filho dele, Carlos Bolsonaro.

Na “nota à nação brasileira”, Augusto Heleno disse que, caso se efetivasse, o pedido de Celso de Mello seria uma “afronta à autoridade máxima do Poder Executivo e uma interferência inadmissível de outro Poder na privacidade do presidente da República e na segurança institucional do país”.

O ministro-chefe afirmou ainda se tratar de uma “evidente tentativa de comprometer a harmonia entre os poderes que poderá ter consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAuxílio para os filantrópicos
Próximo artigoRenan Jonatas, 16: o garoto que morreu porque alertou o amigo sobre facção

O LIVRE ADS