Mulher procura a polícia após cabeleireira “destruir” seu cabelo

Com procedimentos realizados em sequência, o cabelo da vítima começou a se “desmanchar” na mão da cabeleireira

Imagem ilustrativa / Freepik

Uma mulher de 39 anos procurou a polícia nessa quarta-feira (19) afirmando que teve seu cabelo “destruído” por uma cabeleireira de um salão no centro de Várzea Grande (região metropolitana de Cuiabá).

Segundo a vítima, no dia 8 de agosto, às 13 horas, ela foi até o salão, na Avenida Filinto Muller, para fazer luzes e uma reconstrução no cabelo utilizando vinagre e alguns cremes que não teriam sido mostrados previamente para ela.

Os procedimentos foram realizados pela dona do salão e por uma assistente e custaram R$ 200. A cliente saiu do salão às 20h30, mas não ficou contente com o resultado.

No dia 15 de agosto, às 15 horas, ela retornou para fazer uma selagem. Ela foi recebida pela dona do salão e pediu que fosse atendida somente por ela, mas isso não ocorreu.

A dona passou a cliente para sua filha e para um assistente homem, alegando que eles corrigiriam o erro da semana anterior.

Não foi feito nenhum teste do cabelo da cliente e refizeram as luzes sem que ela pedisse. Com isso, no entanto, o cabelo da vítima começou a se desmanchar nas mãos dos dois profissionais.

A dona do salão, segundo a vítima, em nenhum momento foi falar com ela.

Já a filha da dona e o assistente, ao verem o estado do cabelo da cliente, pediram que ela voltasse no outro dia para tentar consertar mais uma vez o cabelo, que havia ficado ainda pior.

A mulher, então, resolveu procurar a polícia e registrar um boletim de ocorrência dizendo estar depressiva, chorosa e nem conseguindo se olhar no espelho, ou trabalhar, pois trabalha com sua imagem.

“Não tenho condição nenhuma de sair na frente de ninguém. Peço que a justiça seja feita, pois ela [a cabeleireira] pode fazer isso com mais pessoas”, disse a vítima.

O caso foi registrado como ocorrências atípicas e encaminhado para investigação da Polícia Civil.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPolícia Civil deflagra operação de combate a roubo, furto e receptação de gado
Próximo artigoCovid: MT vai apostar na liderança de Bolsonaro para a produção de vacinas