Grampolândia: Siqueira se cala

Coronel da PM não confirmou nem negou ordens de Pedro Taques

Coronel Airton Siqueira Junior contradisse militares em depoimento (Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Depois de ter sido adiada pela ausência de um advogado, a acareação da Polícia Civil com envolvidos na Grampolândia Pantaneira ocorreu nessa segunda-feira (4). Na sala da força-tarefa que investiga os casos de escutas clandestinas, o coronel PM Airton Siqueira Junior foi o único a ficar calado.

A acareação – o depoimento “cara a cara” entre os envolvidos – foi necessária porque o coronel Siqueira contradisse o que outros dois militares alegavam.

Os coronéis Evandro Lesco e Zaqueu Barbosa afirmaram que o ex-governador Pedro Taques (PSDB) teria ordenado a destruição dos grampos ilegais depois que o caso foi descoberto. Conforme o cabo PM Gerson Corrêa afirmou à Justiça, as placas de softwares utilizadas para os grampos foram jogadas no Rio Cuiabá, em 2017.

A delegada Ana Cristina Felder, que comanda as investigações ao lado da delegada Jannira Laranjeira, destacou que a investigação é complexa e ainda trabalha para “desembaraçar” declarações feitas por Gerson. O militar foi considerado o ponto-chave do esquema, mas prestou diversos depoimentos que, segundo a titular da Polícia Civil, causou confusão.

Já quanto ao silêncio do coronel Siqueira, Ana Cristina lembrou que o militar fez uso de um direito constitucional. Ela ainda assegurou que a manobra não atrapalhou os trabalhos, os quais considerou “bem sucedidos”.

As investigações seguem em andamento e o próprio ex-governador Pedro Taques deve ser ouvido em momento oportuno, conforme a delegada.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMauro cita melhora mas avalia estender decreto de calamidade
Próximo artigoAs 3 melhores e piores vezes em que atores viveram personagens diferentes no mesmo filme

O LIVRE ADS