Estudantes de MT fazem abaixo-assinado online para suspender retorno presencial

A União Estadual dos Estudantes (UEE) pede que as aulas presenciais sejam retomadas após a imunização de toda comunidade escolar

Foto por: Mayke Toscano| Secom-MT

Os deputados estaduais aprovaram, na segunda-feira (5), o retorno presencial das aulas em Mato Grosso. Para isso, os parlamentares reconheceram as atividades educacionais como essenciais. A União Estadual dos Estudantes (UEE), porém, quer suspender a decisão.

Com um abaixo-assinado virtual eles pedem a volta das aulas apenas com a vacinação de toda a comunidade escolar. O documento deve ser encaminhado ao governo do Estado e ao Ministério Público.

O apelo da UEE leva em consideração o colapso do sistema de saúde, agravado com o avanço dos casos.

(Foto: Reprodução)

“Diante desse quadro, a discussão sobre a Educação ser um serviço essencial junto com o retorno às aulas presenciais não tem sentido nem é oportuna, e agrava ainda mais a já delicadíssima situação sanitária no estado de Mato Grosso”, cita o grupo.

LEIA TAMBÉM

A aprovação do projeto significa que todas as instituições de ensino, públicas e privadas, poderão reabrir nos 141 municípios de Mato Grosso. Antes de entrar em vigor, a lei ainda precisa ser sancionada pelo governador Mauro Mendes (DEM).

“Se isso acontecer sem os devidos cuidados, iremos submeter não apenas os estudantes a um risco iminente e inaceitável, mas também as populações de suas cidades, agora que a segunda onda da covid-19 está em trágica ascensão, com novas cepas mais transmissíveis do vírus sendo detectadas”.

Até o início da noite de terça-feira o movimento tinha mais de 5,7 mil assinaturas.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

  1. Não são os estudantes e sim uma “organização” criada para ganhar dinheiro com carteirinhas de estudante, que não representa de fato praticamente nenhum estudante a não ser a si próprios, que através de uma justificativa manca e sem
    lastro, quer trazer mais insegurança a educação de nosso estado e do país. Onde estão estes representantes em momentos em que recursos são desviados da educação? Onde estão estes representantes, quando estudantes são dispensados das aulas por falta de professor? Onde estavam estes representantes quando milhares de professores de contrato ficaram sem aula e portanto sem renda?
    Não podemos abrir mão de algo que é básico é natural a qualquer cidadão: a LIBERDADE, esta não se negocia, pois a partir do momento que ela é coloca como moeda, a recuperação só virá através de violência. Temos e devemos todos defender o direito legal e divino do livre arbítrio, se você deseja que seu filho vá a escola, nada e ninguém pode impedir isso, bem como quem desejar os filhos em casa, se o professor não quer ir trabalhar, que este se entenda com quem o provém. Se você entrega o seu bem maior em troca de uma pseudo segurança, você deixa de ser cidadão para ser refém. Pensem!

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCâmara Federal quer voltar a debater plano nacional antiterrorismo
Próximo artigoEm MT, 39 municípios estão com risco muito alto de contaminação pela covid-19