Covid-19: Prefeitos de MT devem adotar regras sanitárias por região

Reuniões vêm acontecendo desde o fim de semana e a orientação é que sejam adotadas medidas duras, mas não inflexíveis

Foto: Ednilson Aguiar/O Livre

Prefeitos de Mato Grosso devem adotar medidas por região para frear o contágio pelo novo coronavírus. A intenção é baixar regras que considerem o fato de um município depender do outro, principalmente na prestação de serviço de saúde. 

O prazo estabelecido pelo governo do Estado, no decreto nº 874, para a implantação de um plano de contenção venceu no sábado (27), mas ainda nesta segunda-feira (29) alguns prefeitos vão se reunir para debater quais medidas tomar. 

A Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM) disse que há cidades que não necessitam das medidas mais restritivas neste momento. A situação de risco de contágio estaria abaixo daquela para qual é recomendada a quarentena. 

O problema de restrições locais para algumas cidades já havia sido levantado no ano passado.

Em geral, esses municípios são os maiores e apresentam (neste ano, a exemplo do ano passado) risco muito alto para o contágio. Também são referência para atendimento no Sistema Único de Saúde (SUS) e a economia de cidades vizinhas. Por isso, o fechamento total (lockdown) e bloqueio de divisas – com objetivo de impedir a entrada de pessoas –  e uma só dessas cidades tendem a afetar toda uma região. 

Barreira sanitária adotada em Cuiabá no primeiro pico da pandemia, em 2020 (Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

“Os gestores estão fazendo reuniões regionais, com o objetivo de discutir a situação da pandemia na região e quais as medidas sejam tomadas neste momento”, disse o presidente da AMM-MT, Neurilan Fraga. 

Segundo ele, a orientação dada a prefeitos é que adotem medidas mais dura, que dificultem a circulação de pessoas e as aglomerações, como a suspensão de festas, de qualquer natureza. 

Desacordo com o Ministério Público 

Nesta segunda-feira (29), Neurilan Fraga afirmou que também tem orientado os prefeitos a esperar a decisão do Tribunal de Justiça acerca do pedido do Ministério Público pela  implantação na íntegra do decreto nº 874/2021, do governo do Estado. 

Os decretos municipais só deverão ser baixados após essa definição. A AMM-MT diz que discorda do pedido MP da “ameaça” de afastar prefeitos que não seguirem totalmente a recomendação do governo. 

LEIA TAMBÉM

“É uma afronta aos direitos e a autonomia dos prefeitos de tomarem as medidas que acharem mais convenientes que o momento requer. Se o Ministério Público quer de fato ajudar a conter a pandemia nos municípios, não é ameaçando os gestores e sim cobrando da população que siga e respeite as medidas de distanciamento e de biossegurança determinada pelas vigilâncias sanitárias de cada município”, disse o presidente da associação. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSTF mantém prisão de médico que matou esposa grávida em MT
Próximo artigoHomem invade a casa da ex-mulher e tenta estuprá-la