Unimed cancela reunião e deixa pais de autistas sem negociação sobre cobranças

Cooperativa alegou politização do tema como justificativa para o cancelamento

(Foto: Natália Araújo / O LIVRE)

A Unimed Cuiabá cancelou a reunião que teria com os pais e responsáveis por crianças autistas e pacientes de homecare. No encontro seria discutida a cobrança da coparticipação que vem sendo feita pelo plano de saúde, a partir deste mês.

A reunião seria às 15h, mas no início da tarde, por volta do meio dia, o encontro foi cancelado.

A cooperativa, em nota, informou que “soube que entidades foram responsabilizadas pela mediação do encontro, enquanto parlamentares fizeram contato informando a participação na reunião. […] A transformação do assunto em pauta política é desrespeitosa e com certeza não contribuirá para nenhuma solução. Diante disso, infelizmente se viu forçada à suspensão da reunião”, argumentou.

O contato político, inclusive, teria sido feito pelo deputado estadual Wilson Santos (PSDB).

A empresa sinalizou a possibilidade de marcar uma nova reunião. Contudo, apenas com os pais sem a participação do Procon e de políticos.

LEIA TAMBÉM

Presença marcada

Apesar do cancelamento, em torno de 25 pais compareceram à sede da Unimed Cuiabá na tentativa de conseguir reverter a decisão da empresa.

“Esse cancelamento foi feito por rede social, de maneira irresponsável, não avisando aos 10 representantes que estariam aqui hoje. Até agora não recebi um comunicado formal”, criticou a advogada Mayara Cintra Rosa, de 32 anos, mãe de um menino autista.

Pais se reúnem na Unimed Cuiabá na expectativa de serem recebidos (Foto: Natália Araújo / O LIVRE)

Para o advogado José Samuel de Souza Sampaio, de 38 anos, a postura do plano de saúde mais uma vez fechou a porta para o diálogo.

“Da mesma forma que fizeram uma cobranca inesperada, da noite para o dia, abusiva e restritiva, eles fecharam a porta agora, inesperadamente”, lamenta o advogado que é pai de duas crianças autistas.

A apreensão quanto a cobrança da coparticipação dos pais de crianças com transtorno do espectro autista (TEA) entre outros diagnósticos que dependem de terapias especiais ou homecare é porque os boletos já vencem nos próximos dias.

“Precisamos que os boletos sejam paralisados para termos uma discussão ou precisaremos procurar a Justiça, infelizmente. Em 30 dias o contrato do plano pode ser cancelado e as liminares vão cair, mas nossos filhos precisam desses serviços”, reforça Sampaio.

Deputados presentes

Os deputados estaduais Wilson Santos (PSDB) e Sebastião Rezende (PSC) também compareceram à Unimed Cuiabá.

A cooperativa confirmou que os políticos foram recebidos por um representante da atual gestão, porém, sob a condição de não tratar sobre a negociação da coparticipação.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior20 anos do 11 de setembro: Conheça a história do bombeiro novaiorquino que se tornou padre após o evento
Próximo artigoSuspeito de estuprar cinco crianças é preso em Campo Novo do Parecis