Turismo encolhe 90% em MT no primeiro semestre

Sindetur-MT afirma que a procura por pacotes só começaram a aquecer em junho, com agendamento para o fim de ano

O mercado turismo encolheu 90% em Mato Grosso no primeiro semestre deste ano, com a paralisação das atividades econômicas devido a pandemia. A estimativa é do secretário estadual de Turismo, Jefferson Moreno. 

Segundo ele, a maioria dos hotéis em Mato Grosso tem registrado taxa de ocupação de apenas 15% nos últimos meses, mesmo com a liberação para receber até 50% da quantidade máxima possível de hóspedes. 

“Acho que não dá para falar mais em turismo doméstico neste ano, podemos pensar em turismo regional, nacional, que pode melhorar a partir de agora, com a mudança da curva da pandemia”, ele avalia. 

LEIA TAMBÉM

Segundo o secretário, cidades que dependem do turismo para gerar renda e receita foram as principais afetadas. Na lista estão Nobres, Barão de Melgaço e Chapada dos Guimarães.  

Desde março, o cenário tem sido de insegurança por causa das diversas mudanças nas regras de restrição ou liberação das atividades econômicas. 

“Os estabelecimentos em Nobres, por exemplo, ficaram 15 dias abertos, voltaram a fechar. Devem reabrir agora”, exemplificou. 

Nobres, a 120 quilômetros de Cuiabá, é uma das cidades mais afetadas, por viver quase que exclusivamente do turismo (Foto: Secom MT)

Reaquecimento 

O empresário Omar Canavarros Jr, presidente do Sindicato das Empresas do Turismo de Mato Grosso (Sindetur-MT), diz que um cenário semelhante foi registrado no fluxo de visitas de mato-grossenses a outros Estados. 

Segundo ele, apesar de os quatro meses da quarentena ter ocorrido nos meses de mercado em baixa (entre março e junho), a redução ficou na casa dos 90%. 

Não foi somente em Mato Grosso, o mercado parou em todos os lugares. No nosso caso, a paradeira levou muitas agências de turismo a fecharem e outras a suspender as atividades, que só estão começando a ser retomadas agora”, explica. 

O empresário afirma que já existe procura por pacotes em dezembro e janeiro, com vista ao réveillon e o verão de 2021. Os Estados mais procurados são Rio de Janeiro e São Paulo e a região Nordeste. 

O Sindetur-MT projeta que o mercado de viagens internacionais só deve voltar a aquecer em Mato Grosso em meados de 2021. O turismo interno poderá ser a alternativa. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorJustiça suspende contrato de R$ 1,2 milhão entre Prefeitura de Cuiabá e clínica psiquiátrica
Próximo artigo“Chiqui” é ajudar: grupo faz campanha para socorrer indígenas em MT

O LIVRE ADS