Solidariedade: motorista de app transporta profissionais da saúde de graça

“Não me considero herói. Heróis vestem jaleco branco. Eu apenas conduzo eles até o campo de batalha”

(Foto: Arquivo Pessoal)

Enquanto o coronavírus continua aterrorizando de forma invisível as pessoas, alguns enxergam na pandemia alternativas para ajudar o próximo. Foi partindo dessa ideia que o motorista de aplicativo Mackenzie Nascimento teve a iniciativa de oferecer corridas gratuitas para trabalhadores da Saúde.

De médicos e enfermeiros a copeiras e equipe de limpeza dos hospitais e postos de saúde, para ter a corrida voluntária, basta estar uniformizado ou com crachá identificando.

“Eu recebo a chamada pelo aplicativo e, quando a pessoa se identifica como funcionário da Saúde, eu cancelo a corrida e os levo de forma particular”, explicou Mackenzie.

As corridas de graça ocorrem no período em que essas pessoas mais precisam: das 18h a meia noite. Horário em que o motorista está ativo na rua.

Com um emprego formal no horário comercial, ele afirma que, se for liberado devido à quarentena, vai se dedicar mais ainda à iniciativa voluntária.

Medo vs prevenção

Atuar em uma causa nobre não afasta do motorista o medo de ser contaminado pelo coronavírus.

Para que isso não aconteça, Mackenzie usa máscara e sempre tem disponível álcool gel para ele e seus passageiros.

Ele também pede para que os que ele transporta usem a máscara. O fato de serem profissionais da Saúde os coloca em contato direto com possíveis infectados.

Além disso, o carro segue com as janelas totalmente abertas, para que haja maior ventilação.

“Não nego meu medo de pegar o coronavírus, mas o problema instalado é maior que meu temor. Então, a hora é de ação. O que me encoraja é saber que é melhor levar profissionais de Saúde ao trabalho, do que levar famílias ao cemitério”.

Inspiração

A corrida solidária de Mackenzie inspirou também outros motoristas que trabalham com o transporte de passageiros. A maioria, no entanto, ainda esbarra na dificuldade de manter os gastos com o combustível.

E ele próprio tem recebido auxílio de passageiros e conhecidos que ficam sabendo da iniciativa.

“Uma senhora que disse que, se eu passar perto da casa dela, iria me dar dinheiro para abastecer. Um outro rapaz comprou combustível para ajudar nas minhas despesas. E teve até um grupo que fez vaquinha para que eu continue ajudando com a corrida voluntária”.

Questionado se sente-se como um herói, a resposta vem de forma tão humilde quanto o gesto: “Heróis vestem jaleco branco. Eu apenas conduzo eles até o campo de batalha”.

Se você também se sentiu motivado a ajudar, pode entrar em contato com ele pelo  Facebook ou pelo Instagram (@mackenzie_nascimento).

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS