Prisões em flagrante aumentam em 60% nas fronteiras de Mato Grosso

Dados são do Programa Vigia, que registrou crescimento de 47% no número de detenções nos Estados onde atua

(Foto: Christiano Antonucci)

Os registros de prisões em flagrante nas fronteiras de Mato Grosso feitos pelo Programa Nacional de Segurança das Fronteiras e Divisas (VIGIA), do Ministério da Justiça e Segurança Pública, tiveram aumento de 60%, de janeiro a julho deste ano.

Foram 331 detenções em 2021, sendo 206 no mesmo período do ano anterior.

Já em relação ao tráfico de drogas nas divisas do Estado, as equipes que integram o Programa VIGIA conseguiram apreender 5,2 toneladas de entorpecentes neste ano, número maior que as 4,8 toneladas dos sete primeiros meses de 2020.

O VIGIA já registrou, nos 15 Estados participantes, um aumento de 47% no número de prisões em flagrante em 2021, em comparação com o mesmo período de 2020. De janeiro a julho deste ano, o programa deteve entre as fronteiras e divisas brasileiras 4.289 criminosos, sendo 1.389 a mais que no ano anterior.

As apreensões de armas também cresceram 50% nos locais fronteiriços, passando de 740 para 1.113 armas nos sete primeiros meses deste ano, em todos os locais que o programa age.

Também houve aumento nas apreensões de drogas, sendo mais de 390 toneladas no Brasil. O somatório dos setes primeiros meses do ano anterior gerou 346 toneladas de entorpecentes apreendidas pelas forças de segurança que atuam no programa. Ainda foram apreendidos 2.039 veículos, um aumento de 6% em relação ao ano passado.

LEIA TAMBÉM

Programa VIGIA

Em dois anos, foram R$ 3,8 bilhões de prejuízo aos criminosos, com a apreensão de mais de 1,1 mil toneladas de drogas, 125 milhões de maços de cigarros, além de embarcações, veículos e outros produtos oriundos do contrabando. Os números mostram que, com o reforço da segurança nas fronteiras e divisas do país, o VIGIA evitou um prejuízo de mais de meio bilhão de reais aos cofres públicos.

O Programa está presente nos estados do Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Amazonas, Acre, Rondônia, Tocantins, Goiás, Roraima, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Pará, Amapá, Rio Grande do Norte e Ceará. O VIGIA segue as diretrizes do Sistema Único de Segurança Pública (SUSP), com foco na atuação integrada, coordenada, conjunta e sistêmica entre as instituições.

São 1 mil policiais atuando, diariamente, pelo Programa VIGIA, integrando as seguintes instituições: Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Civil, Polícia Militar, Força Nacional de Segurança Pública, Corpo de Bombeiros Militares, Instituto Nacional do Meio Ambiente (Ibama), Receita Federal, Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Exército Brasileiro, Marinha do Brasil e Força Aérea Brasileira.

(Da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPor unanimidade, TRE anula cassação do prefeito de Campo Novo do Parecis
Próximo artigoAntônio Galvan diz ter apoio de produtores e Blairo seria “voz dissonante”