Polícia investiga páginas no Twitter e Instagram que acusavam homens de estupro

Mais de 40 homens foram acusados na página; famílias chegaram a ser destruídas

Foto: Polícia Civil de Mato Grosso

A Polícia Judiciária Civil deflagrou na manhã desta sexta-feira (24) uma operação em Sorriso (400 km de Cuiabá) para investigar os crimes de calúnia de difamação cometidos em duas páginas no Twitter e no Instagram, que acusavam homens de estupros, abusos sexuais e crimes do gênero.

As páginas eram chamadas “Taradas de Sorriso” e “Expoced” e fizeram mais de 40 vítimas em Sorriso.

Segundo a Polícia Civil, as investigações começaram há alguns dias, quando a PJC recebeu informações de que homens vinham sendo difamados e caluniados em duas páginas nas redes sociais Twitter e Instagram.

Com auxílio da inteligência e tecnologia, a Delegacia de Sorriso chegou às criadoras das páginas e, nesta sexta-feira, policiais civis cumpriram dois mandados de busca e apreensão nas casas de duas mulheres identificadas como criadoras das páginas.

Nas casas, foram apreendidos celulares e notebooks de onde, possivelmente, eram feitas as publicações. Os aparelhos serão encaminhados para perícia, mas ainda nas residência já foi possível comprovar o envolvimento das duas como responsáveis pelas publicações nas páginas.

O delegado responsável pela investigação do caso, André Eduardo Ribeiro, disse que as mais de 40 vítimas tiveram a honra denegrida.

“As páginas da internet causaram grande transtorno a várias pessoas da cidade. Tivemos casos em que famílias se separaram por conta das postagens e difamação realizada através destas redes sociais”, disse o delegado.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorJardim Beira Rio do Grupo São Benedito é encontro com a natureza, maior área verde de Cuiabá
Próximo artigoSPC, Serasa e cartórios vão ter que esperar 45 dias para negativar inadimplentes