Pai mata o próprio filho com disparo acidental de espingarda em MT

Arma estava pendurada no corpo do pai do jovem, quando disparou e o atingiu

Imagem ilustrativa / Pixabay

Um jovem de 20 anos, identificado como Rafael Agostinho da Silva, morreu nessa terça-feira (9) após uma espingarda que estava com o pai dele, Edson Antônio da Silva, de 47 anos, disparar acidentalmente e atingi-lo.

O caso aconteceu em uma propriedade rural em Juína (760 km de Cuiabá), por volta das 22 horas.

Segundo relato do pai da vítima, ele e o filho estavam construindo uma casa no local do acidente. Já no fim do dia, quando iriam para a sede da propriedade rural para jantar, ele já estava em sua motocicleta e com a arma pendurada em seu corpo aguardando o filho subir no veículo para sair.

Quando o filho pulou na traseira da motocicleta, a arma disparou sozinha. O pai escutou o tiro e viu o filho cair no chão. Ele prestou socorro imediatamente, mas viu que não conseguiria ajudar o filho sozinho.

Por se tratar de uma zona rural, que tem animais silvestres, ele arrastou o filho até a residência que estavam construindo e, depois, foi até a sede da propriedade, que fica a cerca de três quilômetros, onde pediu socorro urgente.

Socorro tardio

O gerente do local ajudou o pai, colocando o jovem em uma caminhonete e o levando para a cidade. No caminho encontraram uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que havia sido acionada para prestar socorro, mas a equipe constatou que o jovem já estava sem vida.

As polícias Militar e Civil e a Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) foram acionadas e estiveram no local. A arma do acidente, uma espingarda calibre 32, foi apreendida. O pai não tinha documentação dela e disse que ela havia sido herança de seu pai.

O caso foi registrado como homicídio culposo, quando não há intenção de matar, e posse irregular de arma de fogo de uso permitido.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMinistros não chegam a um entendimento e destino de Moro ainda é incerto
Próximo artigoMinistro manda ao pleno do STF ação contra reajuste dos salários do Judiciário de MT