MT ganha terminal internacional de passageiros (e não é o aeroporto)

Rodoviária de Cuiabá deve começar a operar linha para Cuzco e Lima, no Peru, a partir de setembro

(Foto: divulgação)

“Nossa rodoviária vai ficar internacional e o aeroporto, nada”. Assim a presidente do Sindicato dos Guias de Turismo de Mato Grosso, Suzy Miranda, sintetiza a notícia de que a empresa peruana de viagens terrestres Ormeño pretende abrir um guichê na rodoviária de Cuiabá.

A linha – São Paulo/Lima – já existe há nove anos e sempre passou pela Capital mato-grossense – mais precisamente um ônibus duas vezes por semana –, porém sem paradas e pontos de vendas de passagens. Uma realidade que, conforme os planos, deve mudar a partir de setembro.

“Só aqui que o ônibus não parava. Já tinha parada em Rio Branco (AC), Porto Velho (RO), Campo Grande (MS)”, diz Suzy, completando que sempre que um mato-grossense tinha interesse em fazer a rota por terra para o Peru, a alternativa era ir a uma dessas capitais.

A “viagem preliminar”, que daria início à viagem que, de fato, interessava ao turista, quase sempre ocorria de avião e tornava o destino peruano bem mais caro que o necessário.

(Foto: Reprodução Google Maps)

Segundo Suzy, dependendo da época do ano, o gasto para um passageiro – tendo que se deslocar para outro lugar do Brasil primeiro – variava de R$ 4 mil a R$ 6 mil. A previsão é de que as passagens saindo de Cuiabá custem entre US$ 200 e US$ 220, algo em torno de R$ 800 a R$ 900.

Leia também

Tentativa e erro

Com a rota existindo há tanto tempo, essa não foi a primeira vez que a Ormeño pensou em montar uma estrutura para vender viagens em Cuiabá. Conforme Suzy, há cerca de quatro anos executivos da empresa contrataram uma pessoa na capital de Mato Grosso, mas o negócio não foi para frente.

A falta de divulgação da linha não atraiu passageiros e a baixa demanda –  além de um desfalque que a empresa teria sofrido – foram os argumentos para a desistência naquela época. “Mas uma coisa que sempre defendi era: como que vai ter demanda se ninguém sabe que eles passam por aqui?”, ela conta.

Agora os empresários peruanos vêm pessoalmente a Mato Grosso implantar o negócio. A chegada deles, para contatar a agência que vai vender as passagens e conhecer o trade turístico do Estado é esperada para a semana que vem.

Mais que levar, trazer

E para Suzy, mais do que enviar turistas mato-grossenses para o Peru, a esperança é que a linha traga turistas peruanos para Mato Grosso.

(Foto: divulgação)

“O turista peruano que quer vir ao Brasil tem o foco no Rio de Janeiro. Mas, se houver um anúncio de que temos o Pantanal, temos Chapada, temos Nobres, quem sabe a gente consiga cativar mais esse público para o nosso lado”.

Enquanto isso, os primeiros grupos de passageiros cuiabanos que topam encarar a viagem de aproximadamente três a quatro dias até Cuzco – o destino mais procurado no Peru entre os brasileiros – já começam a aparecer.

Segundo Suzy, são principalmente grupos de estudantes que querem ir de “caravana” ainda em 2019.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS