MT ganha terminal internacional de passageiros (e não é o aeroporto)

Rodoviária de Cuiabá deve começar a operar linha para Cuzco e Lima, no Peru, a partir de setembro

(Foto: divulgação)

“Nossa rodoviária vai ficar internacional e o aeroporto, nada”. Assim a presidente do Sindicato dos Guias de Turismo de Mato Grosso, Suzy Miranda, sintetiza a notícia de que a empresa peruana de viagens terrestres Ormeño pretende abrir um guichê na rodoviária de Cuiabá.

A linha – São Paulo/Lima – já existe há nove anos e sempre passou pela Capital mato-grossense – mais precisamente um ônibus duas vezes por semana –, porém sem paradas e pontos de vendas de passagens. Uma realidade que, conforme os planos, deve mudar a partir de setembro.

“Só aqui que o ônibus não parava. Já tinha parada em Rio Branco (AC), Porto Velho (RO), Campo Grande (MS)”, diz Suzy, completando que sempre que um mato-grossense tinha interesse em fazer a rota por terra para o Peru, a alternativa era ir a uma dessas capitais.

A “viagem preliminar”, que daria início à viagem que, de fato, interessava ao turista, quase sempre ocorria de avião e tornava o destino peruano bem mais caro que o necessário.

(Foto: Reprodução Google Maps)

Segundo Suzy, dependendo da época do ano, o gasto para um passageiro – tendo que se deslocar para outro lugar do Brasil primeiro – variava de R$ 4 mil a R$ 6 mil. A previsão é de que as passagens saindo de Cuiabá custem entre US$ 200 e US$ 220, algo em torno de R$ 800 a R$ 900.

Leia também

Tentativa e erro

Com a rota existindo há tanto tempo, essa não foi a primeira vez que a Ormeño pensou em montar uma estrutura para vender viagens em Cuiabá. Conforme Suzy, há cerca de quatro anos executivos da empresa contrataram uma pessoa na capital de Mato Grosso, mas o negócio não foi para frente.

A falta de divulgação da linha não atraiu passageiros e a baixa demanda –  além de um desfalque que a empresa teria sofrido – foram os argumentos para a desistência naquela época. “Mas uma coisa que sempre defendi era: como que vai ter demanda se ninguém sabe que eles passam por aqui?”, ela conta.

Agora os empresários peruanos vêm pessoalmente a Mato Grosso implantar o negócio. A chegada deles, para contatar a agência que vai vender as passagens e conhecer o trade turístico do Estado é esperada para a semana que vem.

Mais que levar, trazer

E para Suzy, mais do que enviar turistas mato-grossenses para o Peru, a esperança é que a linha traga turistas peruanos para Mato Grosso.

(Foto: divulgação)

“O turista peruano que quer vir ao Brasil tem o foco no Rio de Janeiro. Mas, se houver um anúncio de que temos o Pantanal, temos Chapada, temos Nobres, quem sabe a gente consiga cativar mais esse público para o nosso lado”.

Enquanto isso, os primeiros grupos de passageiros cuiabanos que topam encarar a viagem de aproximadamente três a quatro dias até Cuzco – o destino mais procurado no Peru entre os brasileiros – já começam a aparecer.

Segundo Suzy, são principalmente grupos de estudantes que querem ir de “caravana” ainda em 2019.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorKarola Nunes lança disco em espetáculo no Cine Teatro
Próximo artigoConfusão no motel: PM contrata prostitutas, as ameaça e exige dinheiro de volta