MPF quer R$ 312 milhões em indenização de frigorífico que vendeu gado irregular

Empresa teria comercializado 31 mil cabeças de gado, o que equivale a 6,3 toneladas de carne, sem autorização

O Ministério Público Federal (MPF) ajuizou ação civil pública contra um frigorífico que comercializou produtos bovinos originários de fazendas embargadas e desmatadas. O comércio foi feito a partir de julho de 2008, sem autorização do órgão ambiental competente.

Os atos, segundo o MPF,  contribuíram para o desmatamento da Floresta Amazônica e para degradação do meio ambiente em geral.

De acordo com o processo, o frigorífico teria comercializado cerca de 31 mil cabeças de gado, o que totalizaria aproximadamente 6,3 mil toneladas de carne.

Para o cálculo da indenização solicitada, o MPF levou em consideração o preço por quilo de carne comercializado ilegalmente, avaliado em R$ 50. A empresa tem sede no município de Alta Floresta.

“Não se pretende com a presente ação demonizar a atividade pecuária na Amazônia, criminalizando todo negócio bovino. É possível, mas desde que a área explorada pela pecuária não seja oriunda de desmatamento ilegal ou da exploração de trabalho escravo”,  afirma o MPF.

LEIA TAMBÉM

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPolitec aponta que bebê que teve membros amputados morreu de traumatismo craniano
Próximo artigoOs 855 ex-Santa Casa