Mato Grosso ganhará quatro novos hospitais regionais

Novas unidades regionais serão sediadas em Juína, Confresa, Alta Floresta e Tangará da Serra para atendimento na média e alta complexidade

(Foto: Pixabay / Pexels)

Mato Grosso ganhará quatro novos hospitais regionais e a construção das unidades de saúde começam agora em 2022. Os estabelecimentos hospitalares serão implantados em Alta Floresta, Confresa, Juína e Tangará da Serra. Inclusive, três deles já tiveram a licitação lançada pela Secretaria de Estado de Saúde (SES).

“Mato Grosso tem historicamente acumulado muitas regiões com vácuos na saúde, deixando milhares de pessoas com dificuldades para conseguir atendimento na alta e média complexidade. Esses quatro hospitais regionais vão resolver isso, levando saúde de qualidade para essas regiões, e com uma estrutura de ponta. Estamos fazendo a Saúde funcionar.”, disse o governador Mauro Mendes.

Licitações

Nos dias 02 e 20 de dezembro de 2021, foram publicados os avisos de abertura dos editais de licitação para a construção dos Hospitais Regionais de Juína, estimada em R$ 119 milhões, e do Araguaia, estimada em R$ 116,7 milhões. Já no dia 29 de dezembro, foi publicado o edital de licitação do Hospital Regional de Alta Floresta, estimado em R$ 116,4 milhões.

A licitação do Hospital Regional de Juína já está em fase de habilitação técnica. Já as primeiras sessões das licitações de Confresa e Alta Floresta ocorrerão nos dias 20 de janeiro e 1° de fevereiro, respectivamente.

Na última semana, o Governo recebeu oficialmente a Escritura Pública de Doação da área onde será construído o Hospital Regional de Tangará da Serra. A licitação de construção desta unidade deve ser lançada em cerca de 10 dias.

“Esses quatro Hospitais Regionais já nascem maiores e mais modernos do que qualquer um que esteja em funcionamento pela Rede Estadual de Saúde. É importante destacar que praticamente todas as unidades de saúde do Estado passam por modernizações. Este é um Governo que colocou a saúde como prioridade e entende a necessidade de novas unidades para preencher vazios assistenciais”, destacou o secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo.

A estrutura hospitalar

As novas estruturas contarão com 111 leitos de enfermaria e 40 leitos de UTI – entre adulto, pediátrico, neonatal e unidade semi-intensiva neonatal – para atendimento na média e alta complexidade.

As unidades também vão ter 10 consultórios médicos, 2 consultórios para atendimento à gestantes, 6 salas de centro cirúrgico, além de espaços para banco de sangue, banco de leite materno e realização de exames, como tomografia e colonoscopia.

De acordo com a área técnica, a previsão média de conclusão para cada obra é de aproximadamente dois anos após o início da construção.

(Com informações da assessoria)

LEIA TAMBÉM

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPesquisa constata que máscaras não afetam respiração ou trazem risco à prática de exercícios
Próximo artigoNovo ensino médio estará disponível para 62 escolas estaduais em MT neste ano