Iphan e prefeitura interditam lojas no Centro Histórico de Cuiabá

Fachadas estavam em desacordo com as normas estabelecidas para obras e intervenções no entorno da área tombada

As lojas térreas do Edifício Maria Joaquina foram interditadas pela Prefeitura de Cuiabá porque não atendiam as normas estabelecidas pelo Instituto Nacional do Patrimônio Histórico (Iphan) para reformas e intervenções no espaço.

Os fiscais da Secretaria Municipal de Ordem Pública foram ao local e constataram que o responsável não tinha alvará municipal e o projeto não tinham sido avaliadas previamente pelo Iphan.

De acordo com a assessoria de imprensa do Iphan em Brasília, o responsável pelo imóvel precisa apresentar qualquer projeto de alteração ou reforma para prévia aprovação pelo órgão antes de começar a obra.

Edifício Maria Joaquina está no Centro Histórico de Cuiabá e é o primeiro condomínio vertical da cidade

Isso é uma exigência porque se trata de área de entorno do conjunto tombado pelo patrimônio histórico e tem normas e portarias específicas a serem atendidas.

O prédio em questão está localizado na rua Cândido Mariano, ao lado do Palácio Alencastro, e foi construído na década de 1960.

A edificação foi o primeiro condomínio vertical da capital mato-grossense.

Enquanto a parte superior é formada por apartamentos residenciais, a inferior são salas de aluguel para lojas.

Leia também:

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS