16:09:17 | quinta-feira, 11 agosto 2022
| Dolar Comercial:   0.0767%  US$ = R$
Início Internacional Guerra na Ucrânia: Missas serão celebradas em abrigos antibombas, informa líder católico

Guerra na Ucrânia: Missas serão celebradas em abrigos antibombas, informa líder católico

"A Igreja está com seu povo!", disse Sviatoslav Shevchuk, líder da Igreja Greco-Católica Ucraniana

Arcebispo-Mor Sviatoslav Shevchuk, líder da Igreja Greco-Católica Ucraniana (Fonte: Gazeta do Povo)

O líder da Igreja Greco-Católica Ucraniana informou em mensagem de vídeo que padres “descerão aos abrigos antibombas” de Kiev, capital da Ucrânia, para celebrar as Liturgias Dominicais.

No comunicado de 27 de fevereiro, o Arcebispo-Mor Sviatoslav Shevchuk lembrou que os residentes do país não conseguirão ir à igreja no domingo devido ao toque de recolher imposto pelo governo. Em virtude do conflito com a Rússia desde o último dia 24, os cidadãos devem permanecer em seus abrigos até segunda-feira.

“Nesse caso, a Igreja irá até o povo. Nossos padres descerão aos abrigos e celebrarão a Divina Liturgia”, anunciou Shevchuk. “A Igreja está com seu povo! A Igreja de Cristo traz o Salvador Eucarístico para aqueles que estão experienciando momentos críticos em suas vidas, que precisam da força e da esperança da Ressurreição.”

O papel do líder

Desde 2011 à frente da Igreja Greco-Católica Ucraniana, Shevchuk cancelou uma reunião episcopal em Florença, Itália, para cuidar de seu rebanho. Essa decisão foi elogiada pelo próprio Papa Francisco por meio de uma ligação telefônica no último dia 25.

O sacerdote greco-católico se encontra num abrigo antiaéreo sob a Catedral da Ressurreição em Kiev, segundo Catholic News Agency (CNA).

No vídeo, o Arcebispo-Mor mandou mensagens de esperança e encorajamento aos ucranianos. “Nós sobrevivemos por mais uma horrível noite. Mas depois da noite vem o dia, vem a manhã. Depois da escuridão vem a luz. Logo após a morte, vem a ressurreição, que nós celebramos hoje, radiantemente.”

Shevchuk aconselhou os católicos a irem à igreja e a procurarem o Sacramento da Confissão. Pediu para os que vão comungar o Corpo de Cristo que ofereçam a Comunhão aos refugiados e aos soldados ucranianos, principalmente os feridos e desencorajados.

Enalteceu, também, o trabalho que o governo está fazendo durante o conflito, especialmente em Kiev, e agradeceu o exército, os bombeiros, os serviços de emergência e até mesmo a mídia.

A Una Igreja Católica

O Arcebispo-Mor mencionou bispos católicos de diversos países, incluindo do Brasil, como forma de agradecimento pelo apoio recebido, inclusive o espiritual. “Agradeço a todos aqueles que estão lutando para contar a verdade sobre a Ucrânia, que estão trazendo ajuda humanitária e medicinal, ou simplesmente rezando pela vitória da Ucrânia”, disse Shevchuk.

Há mais de quatro milhões de membros da Igreja Greco-Católica Ucraniana espalhados pelo mundo, a maioria na Ucrânia. Seus membros estão em total comunhão com o Papa Francisco e sua Igreja Católica.

O Arcebispo-Mor Shevchuk terminou o seu comunicado abençoando a todos os espectadores: “Que a benção de Deus esteja sobre vocês por meio de Sua Graça e de Seu amor pela humanidade, no princípio, agora, sempre e por todos os séculos dos séculos. Amém.”

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorJustiça mantém investigação contra Blairo Maggi sobre suposta compra de cadeira do TCE
Próximo artigoSuposto superfaturamento: Consórcio Rio Verde acusa secretário e empresas