“Disputa de egos”

Promotor critica bate-boca e diz que é preciso encontrar responsáveis

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

O promotor de Justiça Roberto Turin, presidente da Associação Mato-grossense do Ministério Público (AMMP), classificou como uma “disputa de egos” a postura do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Mato Grosso, Leonardo Campos, e do desembargador Orlando Perri, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT).

Nesta sexta-feira (12), Turin enviou nota à imprensa, e ponderou que haveria conflito de interesse na participação da OAB em acompanhar três procedimentos investigatórios criminais (PICs) instaurados após notícia-crime da Ordem, sobre suposta participação de promotores no caso do grampos ilegais conhecido como Grampolândia Pantaneira.

“Está na hora de parar com a inútil disputa de egos e falas duras na imprensa, para trabalho, julgamento e, dentro da lei, provada a culpa, severa punição dos responsáveis por esse maléfico caso de interceptações telefônicas ilegais”, ponderou o promotor.

A nota foi motivada após entrevista de Leonardo Campos à rádio Capital FM, na manhã de quinta-feira (11), na qual o advogado criticou a falta de transparência do Ministério Público.

Já a conduta de Perri, que foi questionada, refere-se a uma decisão na qual o magistrado indeferiu pedido do MPE para desmembrar os procedimentos investigatórios da notícia-crime. No despacho, Perri alegou que o Ministério Público estaria querendo “investigar às escuras”, e afastar ele e a OAB do caso.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMedeiros pede ao MEC implantação de escolas cívico-militares em Cuiabá e Rondonópolis
Próximo artigoVeículos precisam de identificação para ocupar vagas de idosos e PCDs