Funaro diz que mantinha relações “estritamente pessoais” com políticos de MT

Entre os amigos, Funaro citou o ex-presidente da ALMT, José Geraldo Riva, e sustentou: jamais misturou amizade com negócios

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

Em depoimento aos deputados da CPI da Sonegação Fiscal da Assembleia Legislativa, o economista e delator na Lava Jato Lúcio Funaro afirmou que sempre manteve relações estritamente pessoais com políticos mato-grossenses.

Entre os amigos, Funaro citou o ex-presidente da ALMT – pai da deputada Janaína Riva (MDB) – José Geraldo Riva e sustentou: jamais misturou amizade com negócios.

O depoimento de Funaro à CPI segue a portas fechadas, mas o LIVRE teve acesso a diversos trechos.

Segundo Funaro, quando a primeira CPI da Sonegação Fiscal foi instalada na ALMT, executivos da JBS até pediram que ele aproveitasse desse laço para impedir uma eventual convocação dos irmãos Joesley e Wesley Batista para depoimento.

Em sua resposta, Funaro disse aos parlamentares que preferia não envolver suas amizades nas questões do trabalho.

A única vez que Funaro usou do vínculo com Riva, conforme ele próprio, foi quando o ex-deputado federal Eduardo Cunha – também sei grande amigo, ele destacou – lhe pediu ajuda para ter o apoio de Carlos Bezerra na eleição para líder do MDB na Câmara Federal.

Funaro disse que, na época, pediu a Riva que falasse com o “cacique” do MDB em Mato Grosso sobre isso.

LEIA TAMBÉM:

Deputados manobram e doleiro Lúcio Funaro depõe a portas fechadas em Cuiabá

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMP arquiva inquérito que apurava conduta de PMs em relação a morte de assaltante
Próximo artigoPecuarista de Mato Grosso é condenado a 22 anos por homicídio qualificado

O LIVRE ADS