Esposa, sogra e amante são denunciados por matar sargento da PM

Segundo MP, crime motivado por dinheiro resultou também na morte do casal que vivia problemas conjugais

(Foto: Pixabay)

O Ministério Público de Mato Grosso ofereceu, nesta terça-feira (10), denúncia contra Tatiane Borralho de Oliveira Silva, Cleyton Cosme de Figueiredo Almeida e Ana Lopes Borralho Filha de Oliveira, por homicídio qualificado praticado contra Noel Marques da Silva, sargento da reserva da Polícia Militar.

O crime ocorreu no dia 22 de agosto do ano passado, no bairro Jardim Colorado, na Capital.

De acordo com a denúncia, Tatiane era casa com a vítima há aproximadamente 10 anos, mas o casal vinha enfrentando problemas conjugais. Ela, então, resolveu pagar uma recompensa a Cleyton – com quem jáhavia tido um caso – para matar o marido.

A intenção da mulher, segundo o Ministério Público, era ficar com os bens do casal e ainda a pensão que a Polícia Militar pagaria após a morte.

Ainda conforme os promotores responsáveis pelo caso, Ana – mãe de Tatiane e sogra de Noel – instigou a filha a prosseguir com o plano. As provas estariam em conversas extraídas do aparelho celular da denunciada.

Os três estão presos e devem responder por homicídio com as seguintes qualificadoras: motivo torpe, utilização de recurso que dificultou a defesa da vítima e mediante promessa de recompensa, no caso específico do autor dos disparos.

O crime

Na semana anterior ao crime, Noel havia deixado a sua casa para morar com o irmão em razão dos problemas conjugais.

Na noite do dia 22 de agosto, então, ao chegar no local e descer do carro para abrir o portão, ele foi surpreendido por Cleyton e uma terceira pessoa ainda não identificada.

Eles atiraram contra o sargento e os disparos atingiram a parte inferoposterior da cabeça, provocando sua morte por traumatismo crânio encefálico.

Morte do filho

Ainda de acordo com o Ministério Público, no dia 24 de março deste ano, Noel Marques da Silva Júnior – filho do sargento – também foi assassinado a tiros Cleyton.

Também teriam participado deste crime Paulo Cesar de Oliveira e Cleomar Benedito Marcos Neto.

Segundo apurado, Noel Júnior havia testemunhado no inquérito do crime cometido contra  seu pai e cobrava o esclarecimento dos fatos, o que motivou Cleyton e comparsas a planejar sua execução.

Na mesma ocasião, eles ainda teriam tentaram matar a testemunha Ariane Figueiredo Souza, esposa de Noel Júnior.

Em depoimento prestado à Polícia, segundo o MP, Cleyton afirmou que também planejava matar Tatiane, já que não teria recebido a recompensa pelo crime cometido contra o marido dela. O crime só não teria sido consumado porque ele foi preso antes.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMT tem o maior número de indústrias de biodiesel do país
Próximo artigoHomem aproveita amizade com família e passa a “namorar” criança