Efeito home office: venda de celulares e aparelhos de informática dispara

Além do home office, as aulas online motivaram os consumidores a buscar melhores equipamentos

(Foto: Pixabay)

O trabalho remoto e as aulas pela internet estão na rotina de brasileiros e pessoas ao redor do mundo. A “nova” maneira de trabalhar e estudar refletiu na venda de celulares e equipamentos de informática. Em um shopping de Cuiabá, a procura pelos aparelhos cresceu 60%.

Se adequar é a melhor maneira de descrever o aumento no consumo desses equipamentos. Segundo a IDC Brasil, 1,4 milhão de novos equipamentos foram vendidos no Brasil.

Nas lojas, os consumidores buscam celulares e equipamentos mais modernos, com maior capacidade de armazenamento, qualidade de som e imagem, e velocidade.

Além de trabalho, estudos, lazer e entretenimento tiveram de ser adaptados e incluiu mais tecnologia no dia a dia das pessoas. Acessórios como fones de ouvido, microfones e webcam estão entre os itens mais procurados.

LEIA TAMBÉM

Em uma das lojas do Shopping Pantanal em Cuiabá, a procura por notebooks, tablet e impressoras cresceu 50% em comparação a um período habitual.

“Muitos vêm em busca de equipamentos porque estão em home office e precisam fazer muitas reuniões virtuais. Quem tem filhos na escola também teve de providenciar equipamentos para eles assistirem às aulas online”, conta a gerente Társila Enders.

Além de aparelhos mais potentes, os consumidores precisaram ampliar seus planos de telefonia e internet, para trabalhar e curtir os momentos de folga em casa assistindo a conteúdos oferecidos por empresas de streaming.

Em outra loja, o produto mais vendido é um combo que une internet, telefone fixo e móvel além de TV por assinatura. “As pessoas estão ficando mais em casa e querem internet e TV, para ter mais opções de canais para assistir”, conta a gerente

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCOMUNICADO ÁGUAS CUIABÁ 24.08
Próximo artigoIncêndios florestais: uma rotina mato-grossense que poderia ser diferente