Correios entrega amostras do coronavírus para estudos em universidades

As amostras serão utilizadas em estudos sobre o contágio, a proliferação dos vírus e uma possível vacina para as doenças.

(Foto: Divulgação)

Os Correios anunciaram nesta sexta-feira (20) a participação em uma tarefa importante: a entrega de amostras virais do novo coronavírus e influenza, embaladas conforme as regras de biossegurança, a cinco universidades no Brasil, que farão estudos.

A estatal foi acionada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), responsável pela coleta de material viral, para dar apoio logístico para a Rede Vírus, comitê do MCTIC.

Segundo os Correios, as amostras serão utilizadas em estudos sobre o contágio, a proliferação dos vírus e uma possível vacina para as doenças.

O material foi retirado no Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (USP) e levado para a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), USP/Ribeirão Preto, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e FEEVALE (Novo Hamburgo/RS).

A primeira coleta ocorreu na noite da quarta-feira (18) e, segundo os Correios, em menos de 13 horas o material biológico já havia sido entregue em Minas Gerais, Rio de Janeiro, Ribeirão Preto/SP e Rio Grande do Sul.

Para garantir a segurança do material, tudo precisa ser entregue até 20 horas após a coleta, em perfeito estado de conservação e sem contaminação tanto de pessoas, quanto do ambiente por onde a amostra passar. Todos os requisitos foram cumpridos com quase oito horas a menos do que o previsto.

O apoio dos Correios a princípio está programado para durar três meses, mas pode ser renovado.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVeja o que chega na Netflix em abril
Próximo artigoProjeto prevê dispensa de atestado para trabalhadores com coronavírus

O LIVRE ADS