Coronavírus: CFM lista práticas para reduzir risco de transmissão

Em Mato Grosso, três casos suspeitos são investigados pelo governo do Estado

(Foto: Freepik)

São medidas simples, mas que precisam ser incorporadas na rotina. O Conselho Federal de Medicina (CFM) listou uma série de práticas que podem ajudar a reduzir o risco de transmitir ou contrair infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus.

Entre as boas práticas citadas pela instituição, estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. É preciso respeitar os 5 momentos de higienização;
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não higienizadas;
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes;
  • Ficar em casa quando estiver doente;
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

O Conselho também divulgou medidas de precaução para os profissionais da saúde, que lidam com os pacientes. É recomendável, que o grupo use máscara, luvas, avental e óculos.

Em Mato Grosso, três casos suspeitos são investigados pelo governo. Os casos suspeitos foram notificados em Sorriso, Glória D’Oeste e Alto Taquari. Os pacientes estão em isolamento domiciliar e seguem monitorados diariamente pelos serviços de saúde.

LEIA TAMBÉM

Até agora, no Brasil foram confirmados dois casos da doença. Os casos não possuem vínculo entre si e foram identificados em unidade de saúde privada.

Segundo o Ministério da Saúde, os dois brasileiros foram infectados na Itália e são moram no estado de São Paulo.

Combate às fake news

Outa boa prática, segundo o CFM, é compartilhar informações de fontes confiáveis. É preferível buscá-las em sites do Ministério da Saúde, de Secretarias de Saúde, de entidades de médicas e de veículos da imprensa com credibilidade.

Nesse momento, o acesso à informação correta, impede pânico e confusão, o que ajuda a salvar vidas e proteger a saúde.

“Não devem ser repassadas notícias falsas, mesmo aquelas aparentemente cômicas e inofensivas”, diz trecho da nota.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.