Comércio pode ser obrigado a treinar funcionários para atender pessoas com deficiência

O projeto de lei está em trâmite no Congresso Nacional e é visto com ressalvas pelo setor

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Estabelecimentos comerciais podem ser obrigados a ter profissionais treinados para atender pessoas com qualquer tipo de deficiência física. A previsão está em um projeto de lei em trâmite na Câmara Federal.

A proposta já foi aprovada pela Comissão dos Diretos da Pessoa com Deficiência, mas ainda precisa passar por outras etapas antes de se tornar lei.

De acordo com o texto, só microempreendedores individuais e microempresas estariam dispensadas da obrigação.

Presidente da Associação Comercial e Empresarial de Cuiabá, Jonas Alves afirma que a entidade vê a proposta com bons olhos e que os esforços dos empresários nesse sentido têm sido constantes.

“São pessoas com capacidade de consumo. Independentemente da condição físicas, é alguém que pode ser um cliente, então nosso objetivo é atender da melhor maneira possível”, afirmou.

LEIA TAMBÉM

Alves pondera, entretanto, que a questão ainda gera certa preocupação, “não pela necessidade de ter que ofertar esse treinamento”, ele destacou, mas pelas dificuldades que o setor já enfrenta para cumprir outras regras.

Ele cita como exemplo a exigência para que pessoas com deficiência sejam contratadas.

“A gente se esforça, divulga essas vagas das mais variadas maneiras possíveis, às vezes, até com carros de som, mas há uma dificuldade de encontrar essas pessoas”, ele sustentou.

Relator do projeto de lei, o deputado federal Zacharias Calil (DEM-GO) defendeu que a ideia não é haver um atendimento personalizado para estes clientes, mas um treinamento adequado para que eles também se sintam incluídos nos ambientes comerciais.

(Com informações da Agência Câmara Notícias)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDamásio Educacional: como estudar para a 2ª fase da OAB
Próximo artigoSede do CVV é invadida, vandalizada e furtada pela segunda vez neste ano

O LIVRE ADS