Policial civil em Cuiabá é apontado como membro de organização criminosa

Esquema utilizaria o aparato oficial da força policial para encobrir práticas criminosas

Foto: Assessoria Polícia Civil

O policial civil Dhiego de Matos Ribas, lotado na delegacia do Coxipó, em Cuiabá, é apontado como um dos supostos membros da organização criminosa com a participação de policiais civis e militares. 

Ele seria o responsável por pensar as ações realizadas com uso do aparato policial para crimes de concussão, corrupção, peculato, roubo e tráfico. 

As acusações são do Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco) e da Corregedoria da Polícia Civil, que cumprem 44 mandados de busca e apreensão e prisão preventiva em Mato Grosso nesta terça-feira (4). 

LEIA TAMBÉM

“Policial da ativa no comando”

O LIVRE apurou que, além de Dhiego, outros sete membros da força policial estariam envolvidos no esquema.

O Gaeco informou que os elementos informativos e provas colhidas durante a investigação “demonstraram que a organização criminosa era comandada por policial da ativa”. 

Ele se utilizaria de técnicas de investigação com o uso de equipamentos da Polícia Judiciária Civil (PJC), além da facilidade de ser chefe de operação de uma delegacia na Capital. 

 O aparato oficial da polícia serviria para facilitar as ações criminosas e acobertar o grupo. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorQuase metade dos contribuintes ainda não enviou declaração do IR
Próximo artigoTrabalhadores nascidos em março podem sacar auxílio emergencial