Casal que se conheceu no cemitério está de casamento marcado

A grande repercussão da matéria resultou em reações variadas, de críticas intolerantes a demonstrações de carinho muito mais relevantes

Sérgio e Silvana se conheceram no Cemitério Parque Bom Jesus

Ao tempo em que suportavam a dor do luto, o servidor público Sérgio Leal e a agente de viagens Silvana Segura foram surpreendidos pela paixão. Eles se conheceram no Cemitério Parque Bom Jesus de Cuiabá, onde estavam enterrados a mulher de Sérgio e o marido de Silvana. Surpreendentemente, eles foram enterrados quase que um em frente ao outro. Teria o destino os colocado frente a frente?

Foi assim que a fraternidade nasceu das conversas que tinham enquanto zelavam pelo túmulo de seus entes queridos. O amor veio na sequência. E agora, anunciam: o namoro, que já dura três anos, vai enfim, virar casamento. Todo o protocolo foi seguido: em 2014 começaram a namorar, em 2016 passaram a dividir o mesmo teto e finalmente, em junho de 2018 ocorre o casório em cerimônia em meio à natureza, com muito romantismo e ao pôr-do-sol, assim como se conheceram.

A propósito, a estância onde será realizada a cerimônia foi cedida por um dos amigos do casal, que se sensibilizou com a história descoberta e divulgada com exclusividade pelo LIVRE.

“O universo conspirou para isso”, diz Sérgio. A grande repercussão da matéria – que impulsionou outros veículos regionais e nacionais a publicarem a história – resultou em reações variadas, de críticas intolerantes (de nenhuma relevância para o otimista Sérgio) a demonstrações de carinho sem igual.

“Muitos amigos que não conheciam a história desde o início, foram surpreendidos e ficaram realmente emocionados. Recebemos muito apoio. Um deles, a exemplo, cedeu o local do casamento. Ganhamos ainda a música da cerimônia, com direito a instrumentistas e coralistas e ainda, os serviços de barman para os drinks especiais”, se diverte.

Silvana, também está empolgada. “Estamos curtindo os detalhes e eu não posso dizer ainda, mas estamos preparando uma surpresa para estes amigos”, diz em tom de mistério. “Vai ser uma forma de devolver ao universo o amor que nos uniu”, completa Sérgio.

Relembrando a repercussão da matéria, o espirituoso Sérgio conta que dentre os milhares de comentários – sim, milhares já que o relato do encontro dos dois repercutiu na televisão e em redes sociais diversas – alguns deles chamaram a atenção. “Como o de um rapaz que nos parabenizou e tal, e disse mais ou menos assim: ‘eu conheci uma mulher no cemitério, mas quando a gente passou pelo portão, ela sumiu’. Eu ri muito, claro”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDia do artesanato: economia criativa norteia debate em Cuiabá
Próximo artigoCrescimento sustentável depende do acesso à água, diz Temer