Caminhoneiros de MT não participam de paralisação nacional

Sindicato que representa os transportadores autônomos diz que não há clima para fechar rodovias em meio à pandemia

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

Caminhoneiros de Mato Grosso não aderiram ao movimento nacional de paralisação do transporte de cargas prevista para esta segunda-feira (1º).  

A manifestação foi convocada pelo Conselho Nacional de Transportes Rodoviários de Cargas (CNTRC) na semana passada, em cobrança de medidas como revisão de frete, imposto sobre combustível e aposentadoria. 

O Sindicato dos Transportadores Autônomos de Bens de Mato Grosso diz, no entanto, que não há condições de paralisar o transporte de cargas e fechar rodovias pelo país em um momento de pandemia e mortes diárias pela covid-19. 

“Não há clima nenhum para greve, não é o momento. Somos contra qualquer tipo de paralisação agora. Mais de 200 mil pessoas já morreram [na pandemia] e não é momento para paralisar o país”, disse o presidente do sindicado, Roberto Costa. 

Em vídeos que circulam por redes sociais, caminhoneiros dizem que a orientação de greve é uma “manobra política” para desgastar a imagem do governo. Alguns dizem que a situação se mantém a mesma de 2018, quando a greve paralisou o transporte por 10 dias, “mas vamos ter que esperar isso tudo passar para cobrar o governo”. 

LEIA TAMBÉM

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) disse que, até o momento, não registrou ocorrência de bloqueio de rodovias em manifestação de caminhoneiros. O tráfego na BR-163, a maior pista federal que corta Mato Grosso, estaria normal. 

As entidades empresariais, como a Aprosoja-MT e o sindicato das transportadoras, também afirmaram o movimento segue sem interrupção. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAos 101 anos, Orlando Drummond é vacinado contra o coronavírus
Próximo artigoCinco disputam presidência do Senado nesta segunda-feira