Calamidades seguidas

Estado entra em novo estado de calamidade quatro meses após encerrar a crise financeira

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Mato Grosso entrou nessa quarta-feira (25) em um novo estado de calamidade, quatro meses depois. De natureza diferente, o decreto atual foi baixado pela crise do coronavírus. Contudo, irá atingir as contas públicas. 

No texto de divulgação do estado de calamidade pública, o governo informa que nos próximos 90 dias a administração pública fica “dispensada de atingir os resultados fiscais e a limitação de empenho”. 

LEIA TAMBÉM

Ou seja, temporariamente o orçamento estará aberto, “o que autoriza o Estado a fazer despesas que não haviam sido previstas no orçamento”.  

Os serviços de saúde passam a ser o foco da administração para conter a transmissão do novo coronavírus. 

“Passamos por uma situação atípica e precisamos agir de forma rápida para conter a transmissão e garantir atendimento de saúde a quem necessitar”. 

Crise financeira

Em novembro de 2019, o governo suspendeu o decreto de calamidade financeira depois de dez meses de restrições fiscais, ainda em vigor. 

O regime anterior, segundo o governo, ajudou a fechar as contas do ano passado no azul, com mais receita em caixa do que dívida para pagar. 

No cenário da pandemia, a previsão é que a arrecadação do Estado caia até 30%, principalmente com perda do ICMS dos combustíveis e da energia elétrica. A queda deverá afetar as contas públicas.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGoverno federal zera imposto de importação de mais 61 produtos para combate ao coronavírus-19
Próximo artigoMotorista de app reage a assalto e ladrões fogem deixando arma cair no carro

O LIVRE ADS