“Aquecimento global é farsa para mascarar interesses geopolíticos”, diz o climatologista Ricardo Felício

Professor foi o convidado da edição de 2019 do Circuito Universitário, promovido pela Aprosoja-MT

Ele defende que o aquecimento global não passa de uma farsa para mascarar interesses geopolíticos. Cético, o paulista Ricardo Augusto Felício, professor de geografia da USP e climatologista, foi o convidado da edição de 2019 do Circuito Universitário, promovido pela Aprosoja-MT.

Felício ficou conhecido por fazer parte de um movimento considerado “negacionista” por estudiosos que seguem outra linha de pensamento, o qual ele refuta com veemência. “Somos cientistas céticos. Nos chamar de negacionistas é pejorativo. Usam esse termo chulo para nos difamar e nos desqualificar. Negacionismo é fazer alusão àqueles que negaram os grandes holocaustos que aconteceram no planeta”, disse.

O aquecimento global se apoia na afirmação de que temperatura do planeta está subindo e que os fatores externos causados pelo homem – como desmatamento, emissão de CO2 na atmosfera e o agronegócio – sejam os grandes responsáveis pelo fenômeno climático. Tese essa contestada pelo professor.

“As variações de temperatura são mínimas. Aproveitam de dias extremamente quentes para defender a ideia do aquecimento. Como se o aquecimento escolhesse dias alternados para dar as caras”, disse.

Sem meias palavras e voraz no que diz, o estudioso respondeu as 5 Perguntas para o LIVRE. Confira!

1 – Por que essa teoria de que o aquecimento global é uma farsa é ignorada pela mídia?

Ricardo Felício – Na verdade não é uma teoria e sim uma hipótese. Essa teoria foi lançada, mas não existem evidências que corroborem com ela, nem que, primeiro: o CO2 controla a temperatura; segundo: não há evidencias de que o CO2 controla o macroclima do planeta e, pior ainda, não conseguem trazer evidências de que a temperatura global média signifique alguma coisa em relação a climatologia.

Já se passaram 31 anos desde que surgiu o tal aquecimento global. 1/3 do século já se passou e nada aconteceu. Os termômetros não subiram sequer 1 grau. A mídia trabalha para esse sistema. Ganha dinheiro com isso. O aquecimento global se tornou uma grande indústria nos últimos 30 anos.

2 – Esse seria o motivo de não existir um apoio popular no Brasil para desmistificar o aquecimento global?

Ricardo Felício – A lavagem cerebral é feita nas escolas, com material didático totalmente comprometido e com base ideológica completa. As crianças crescem já aceitando isso como verdade no Brasil. Quando tivemos a queda do muro de Berlim, em 1989, por exemplo, a maioria dos comunistas se tornaram “verdinhos”, ou seja, ambientalistas. Veja o caso do parlamento europeu, a Ângela Merkel, é da juventude comunista, mas ainda tem parceria com o Putin porque depende do gás da Rússia para manter a Alemanha funcionando. Então os laços geopolíticos são mais profundos do que a gente possa imaginar, e o interesse de que isso seja exposto à população é zero.

3 – O quanto esse ciclo climático interfere no calendário agrícola?  Já surgiram os primeiros indícios?

Ricardo Felício – Os reflexos na agricultura já começaram. Os primeiros deles são no hemisfério Norte. O cenário geopolítico começa a ficar mais claro também. Porque os grandes líderes políticos batem de frente diretamente com o Brasil? O Emmanuel Macron está fazendo uma “treta” com o Brasil porque ele é um grande fornecedor de produtos agrícolas e não quer concorrência.

A China e os Estados Unidos sabem que irão sofrer com as baixas temperaturas já que o hemisfério Norte é primeiro a sofrer com o frio e por isso já querem garantir reserva de alimento e esse lugar é o Brasil. África não dá. Lá é uma “treta” de várias regiões brigando entre si. Brasil é uma só nação e tem uma área tropical gigantesca e dá para produzir mesmo com climas mais frios. Quando dobrar a área agrícola, iremos alimentar metade da população mundial. Isso vai acontecer por necessidade. E o real interesse do “aquecimento global” será descoberto.

Observe a postura da rainha Elizabeth – que nunca se envolve em embates – quando o parlamento britânico começou a puxar a sardinha para o Macron, ela foi lá e cancelou a sessão. Acha mesmo que ela quer “treta” com o Brasil? E são esses detalhes que passam batidos. E isso é uma coisa que o governo atual vem pecando, pois poderia construir uma narrativa com base nesses episódios e se firmar.

4 – Antes de começar a palestra, você comentou estar atônito com a demissão de uma colega sua de pesquisa. Teme que aconteça o mesmo com você?

Ricardo Felício – A minha colega de pesquisa e zoóloga Susan Crockford, que atuava como professora adjunta, foi demitida da academia de estudos ligados ao clima e aos ursos polares. Ela rebate com dados e muito estudo o fato de que a população de ursos polares está diminuindo devido ao aquecimento global. Por isso ela foi cortada, isso incomoda.

Existem muitos cientistas céticos, mas boa parte está com medo de ser revelar e defender suas teses. Estamos mexendo com poderosos. Eu já estou sentindo o reflexo por comprar a briga. Sou professor da Universidade de São Paulo e meu salário foi cortado para mil e setenta reais, depois de 10 anos lecionando. Desafio qualquer um a justificar meu corte de salário que não seja boicote.

5 – Qual argumento usar para aquele vizinho defensor do aquecimento global que manda abaixo-assinado no Facebook e levanta a bandeira ‘salvem o planeta’?

Ricardo Felício – Basta explicar de forma simples de que o homem é insignificante perante a natureza. Ao mesmo tempo desprezamos o poder que a natureza tem em se recuperar. Tudo na natureza é de proporção gigantesca. Inclusive a explosão da vida em algas, vegetação. Um dia de chuva na Amazônia e tudo começa a ficar verde. É assim que funciona a natureza. O planeta vai esquentar e esfriar e não está nem aí. A nossa escala é ridiculamente pequena. Falar que o homem controla a variabilidade do clima é ridículo.  ‘Ah, mas as cidades estão aquecendo o planeta’. Meu! olha o tamanho das cidades em relação ao planeta, é de 0,05 da superfície, não dá para computar isso com o tamanho do oceano pacifico, por exemplo.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

31 COMENTÁRIOS

    • Gostaria de saber quantas pessoas que escreveram esses comentários ignorantes sao pesquisadores ou doutores em ciência da terra e estudos climáticos. Procurem estudar o ciclo terrestre (uns bilhões de anos apenas)… planeta passa por ciclos glaciais e intra glaciais. Ciclos intra glaciais são marcados por altas temperaturas (mais altas que agora), e pasmem seus sabem tudo../ estamos entrando num ciclo intra glacial…. Primeiro sementaste de geociências já se estuda tudo isso ! Mas acreditem na mídia tendenciosa é muito mais fácil do que pesquisar ! Assistam o desenho “a era do gelo” , pode ser um bom começo pra quem não tem capacidade intelectual para ler e entender artigo científico !

    • amigo, assiste um pouco sobre os vídeos que ele aparece no youtube, e sobre essas questões geopolíticas no meio, faz total sentido, hoje, no mundo, tudo é visado no dinheiro , inclusive sobre o CFC que tem aquela historinha que destroi a camada de ozônio, mas enfim, opiniões a parte, só espero que você assista os vídeos

    • não se esqueça que na época das Grandes Navegações, acreditavam que a terra era plana e quando alguns cientistas começaram a apresentar a tese que a terra na verdade era Esférica, foram taxados de loucos, entõa nunca se sabe, até porque não é que nem esses loucos que tentam provar que a terra é plana, isso do dr Ricardo faz sentido, diferentemente dos terraplanistas de merda rs

  1. Pleno acordo.
    Tenho 63 anos e não vejo nenhum evento climático recente, que eu já não tenha presenciado na minha vida.
    A geração urbana “ar condicionado” experimenta uns choques térmicos quando sai do carro, do shopping, do escritório e acha que isso é aquecimento global. E embarca nessa balela.
    Excelente o Ricardo Felício.

    • Muito bom ouvir o Ricardo Felicio, porque se fala de ciência, mas uma ciência livre de interesses políticos. Para mim esta de parabéns, deve ser muito difícil enfrentar esses caras, que são contrario a ciência, que defendem seus próprios interesses. O povo brasileiro precisa aprender mais, sobre ciência. Assim sendo concordo com você Ricardo Burgi.

    • Ricardo, perfeito ponto de vista!
      Devemos nos lembrar dos acontecimentos do passado, pois são eles que nos ajudam a entender situações atuais, em todas as áreas! Brasileiro tem preguiça de pensar muitas vezes, e a memória costuma ser curta.
      Um exemplo simples mas bem interessante, que neste ano na região Lazio da Itália, em abril foi bem mais fresco do que o de ‘costume’, e há um provérbio (Aprile non ti scoprire, Maggio va adagio, Giugno apri il pugno.) sobre os meses da Primavera relacionado a como se agasalhar, confirmando a baixa temperatura durante esse mês. O primeiro pensamento da maioria é a mudança climática, mas poucos se recordam de que na época dos pais ou avós, esse ‘fenômeno’ ocorreu.

  2. Qual interesse geopolítico poderia ser maior do que o interesse financeiro, do Agronegócio, que está bancando esse tipo de palestra?

    “Nos deixem plantar soja até a cordilheira dos ANDES-SN em paz, ganhar nossos milhões, comam e respirem veneno e não reclamem!”

    É vergonhoso ver um “cientista” se prestando a um papel ridículo desses…

    • Vergonhoso é você não ter capacidade de estudar a variação climática do planeta desde antes do holoceno ! Da um Google, não é segredo de estado não ! Qualquer universidade seria (USP, Harvard, Stanford…) tem esses dados super bem explicados, gráficos e artigos.

    • Raquel você é uma jumenta marxista ou desonesta intelectual… finge acreditar na farsa do aquecimento global por raivinha do agronegócio… depois não reclama quando europeu levar nossa Amazônia e nossa soberania…

  3. É muito difícil acreditar que essas “verdades” sejam mentiras, principalmente quando acreditamos por décadas. É preciso ser corajoso pra procurar informações nas fontes contraditórias e aí sim, elaborar a opinião. A gente só escuta o disco inteiro quando escuta os dois lados, mas a maioria da população não é educada pra pensar com a própria mente, é educada pra acreditar no que vê e ouve pelos olhos e ouvidos dos outros, por isso somos um país tão atrasados intelectualmente. Não fosse pela coragem de cientistas como o prof. Ricardo Felício, nunca saberíamos, por exemplo, que a Amazônia não é o pulmão do mundo, e mesmo que essa afirmação de que é o pulmão do mundo já tenha sido refutada há mais de 20 anos, até hoje você vê, por exemplo, presidentes europeus acreditando que é.

  4. Em um dado momento, todos os notáveis e cientistas acreditavam que a terra era plana, que a teoria da gravidade era balela… posso te dar inúmeros exemplos de situações parecidas.

    Os argumentos do ricardo são bem interessantes. O que mais me espanta é, todas as previsões apocalipticas que foram feitas até agora erraram de forma rotunda mas ninguém considera isso relevante.

    Dificil viu..

  5. Olá, nesse mundo atual ,infelizmente o que manda é sempre o financeiro, não importa se as palavras desse professor são certas ou não, o poder manda em tudo ,e quem se opor será questionado pelos gde se investidores.Esse e o negocio!!!!!!infelizmente. ABRAÇO A TODOS

  6. Existiu o período chamado de Holoceno, cerca de 4.000 à 7.000 anos atrás, cuja temperatura era bem mais elevada que a atual. Será que as industrias já estavam tocando o terror em emissão de CO2 nesse período?

    E tentar equiparar emissão de CO2 (que não controla o clima, mas sim, acompanha o clima. Sendo um produto do aquecimento) à forças da natureza tais como vulcões, oceanos e o Sol, é ridículo.

    Boa professor.

  7. Professor Ricardo Felício está longe de ser consenso, existe sim uma relação do aumento médio da temperatura do planeta com a emissão de CO2 com o início da revolução industrial. Óbvio que diversos fatores naturais podem alterar o CO2 na atmosfera, ocorreram vários episódios na terra de super erupções que mudaram rapidamente o clima. Temos sim um parcela nessas mudanças, nunca uma espécie conseguiu ocupar todos os cantos do Planeta, basta olhar no google earth e vcs verão o quando mudamos o planeta. Não precisamos radicalizar, mas podemos vaz
    er muita coisa para amenizar essa situação…

  8. Parabéns ao Ricardo por expor a verdade com coragem…
    Infelizmente esse será mais um a se sacrificar pelo gado alienado, patético, mentecapto, desunido, covarde, inútil, parasita, egoísta, mal-educado, insensato, suicida, masoquista e muito, mas muito burro.
    Esse é, irrefutavelmente, um dos povos mais atrasados e estúpidos sobre a crosta desse orbe.
    Basta ter um pouco de inteligência para perceber que as escrituras já estão se cumprindo. Oxalá que venha o anticristo e faça uma limpeza bem grande, levando, conforme está escrito nas Pedras da Geórgia, amparado pelo COVID, vacinas, caixões da FEMA e muitas outras verdades expostas em filmes, nos Simpson, mais de 90% da população mundial para as covas. É o que essa gente mentecapta infernal merece. Quantos crimes praticados contra a natureza, contra os animais, contra os semelhantes…
    Agente Smith estava certo ao proferir no filme Matrix: ” Descobri que vocês não são mamíferos…, vocês são um VÍRUS, uma PRAGA…”. KKKKKKKKKKKK
    Como eu digo no meu blog: “Terráqueos”…

  9. No geral, os brasileiros dão mais crédito no que é dito por pessoas de fora do próprio país.
    Qual seria a reação dessas mesmas pessoas se fosse um Americano do Norte? Será que elas o tachariam de tantos nomes como o Prof Ricardo está sendo citado?
    Tantas outras pessoas como ele têm se aprofundado em conhecimento, dados e análises, visitado a Antártida e não tem tido o respeito merecido por nós, brasileiros. Até quando daremos mais valor aos outros do que aos nossos?

  10. Lixo de professor, tá no mesmo nivel da Nilse Yamaguchi…. tá ganhando uns troco por fora p falar bosta, deveria ser exonerado da USP. Não possui gabarito para isso

  11. Parabéns. Homem de conhecimento e coragem. A idéia do aquecimento global ficou tão dificil de sustentar que, mudaram o nome para “mudanças climáticas” o que na prática não diz nada. E pra quem não estuda o tema a maioria dos climatologistas é resfriamentista, e não aquecimentista

    • PT deve ter influência eh Harvard, Stanford…/ inclusive em mais de 100 anos de pesquisa de ciclos climáticos no planeta anteriores ao holoceno.
      Ahhhh desculpa, vc nem deve saber o que é heloceno!

    • Muita gente burra que fica defendendo o tal Aquecimento Global, ou é burro ou desonesto e sujo… o ódio ao agronegócio faz esse pessoal a se associar aos interesses externos… bando de esquerdistas imbecis… idiotas nem se interessam em saber mais sobre essa farsa do Aquecimento Global… são uns jumentos marxistas…

  12. Só sei que em pleno verão tá frio. Aí vc escreve no Google e caboclo agora está querendo dizer que no aquecimento global gera frio … hmmm ? Aquecimento gera frio ? A merdia da mídia já mudou o termo pra Mudanças Climáticas, de forma marota pra dar um migue nos amiguinhos …. Como o professor falou, é muito intere$$é envolvido

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCircuito Universitário reúne mais de 1,2 mil pessoas na primeira semana
Próximo artigoO que vai cair no Enem? Professores de três das melhores escolas públicas de Cuiabá respondem