Agente penitenciário é agredido, apedrejado e sofre afundamento de crânio

Além das agressões brutais, os suspeitos ainda perseguiram a vítima por cerca de 5 km, até ele encontrar ajuda

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Um agente penitenciário do Centro de Detenção Provisória de Lucas do Rio Verde (300 km de Cuiabá) foi vítima de uma tentativa de homicídio no último domingo (14). Ele foi agredido, atingido por pedradas na cabeça e teve afundamento de crânio.

Conforme informações da Polícia Militar, o agente estava andando a pé na Avenida Goiás, do Bairro Veneza, em Lucas do Rio Verde, quando um grupo de pessoas o cercou e começou a agredi-lo.

Ferido e machucado, o agente ainda conseguiu correr. Ele foi perseguido pelos acusados por aproximadamente cinco quilômetros. Os momentos de terror e fuga só tiveram fim quando a vítima conseguiu pedir ajudar em uma residência.

Em seguida, ele foi encaminhado ao Hospital São Lucas. Seu atual estado de saúde não foi informado.

Investigações

Após investigações, na segunda-feira (15) um dos envolvidos no crime foi localizado e detido. O suspeito é um menor de idade, foi reconhecido pelo agente penitenciário como sendo um dos agressores e segue apreendido.

A Polícia Judiciária Civil continua as investigações para identificar e prender outros membros do grupo responsável pelo crime.

Segundo caso em pouco tempo

Esse foi o segundo crime contra agentes penitenciários em Lucas do Rio Verde em 15 dias. No dia 30 de junho, o agente Alison Douglas da Silva, 37 anos, foi morto quando estava abrindo a porta da residência na Rua Zafira, no Bairro Tessele Junior.

Ele foi atingido por pelo menos 22 disparos de arma de fogo e a ordem para matá-lo, possivelmente, partiu de dentro do Centro de Detenção Provisória, onde ele trabalhava. Quatro suspeitos de cometerem a execução já foram detidos.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.