A revolução PIX: quais foram as principais mudanças que trouxe?

O PIX foi e ainda é sinônimo de muitos comentários e notícias por um período em nossas vidas. Esta ferramenta recebeu diversos comentários, principalmente no lançamento dela para a realização de transferências bancárias. Desse modo, separamos algumas informações e mudanças que esta evolução trouxe para a sociedade.

As transferências bancárias sempre foram algo burocrático. As pessoas tinham que se locomover até uma agência bancária, aguardar seu momento em uma grande fila, ir até um caixa ou falar com um atendente. 

Até você realizar este procedimento, já se passou mais da metade do seu dia. Pois é, pode parecer que faz muito tempo, mas não, isso era muito comum até pouco tempo atrás. Muitas pessoas tinham até “receio” de fazer transferência bancária, por conta da burocracia.

Pensando nisso, o PIX foi uma evolução que ofereceu para a sociedade diversas mudanças e foi muito aceito por todos. Sendo assim, separamos todos os detalhes sobre este assunto, veja mais detalhes.

Descubra a seguir:

O que é PIX?

Quais foram as mudanças que o PIX teve desde o lançamento da ferramenta?

5 Mudanças que o PIX trouxe para o mercado financeiro e rotina bancária

O que é PIX?

O PIX é um meio de pagamento eletrônico instantâneo e totalmente gratuito para pessoas físicas que é oferecido pelo Banco Central do Brasil. A ferramenta serve tanto para pessoas físicas, quanto jurídicas. 

Esta nova modalidade de transferência bancária foi lançada em 5 de outubro de 2020, e passou a funcionar em todo o território nacional a partir de novembro.

A nova modalidade de transferência bancária foi bem aceito pela sociedade e passou a ser um dos principais meios de transferência entre grande parte da população nacional.

Mas afinal, como funciona o PIX? Este é um recurso que fica disponível para realizar transações instantaneamente e apenas em alguns segundos. 

Este serviço fica disponível ao público durante 24 horas por dia e sete dias da semana. Sendo assim, todos os dias e a qualquer momento você pode utilizar a ferramenta para fazer transações.

Todos estes procedimentos são possíveis, por conta do Sistema de Pagamentos Instantâneos que foi criado pelo Banco Central. Este sistema, mais conhecido como SPI, é aberto para todas as instituições autorizadas pelo BCB e diversas instituições que desejam oferecer a opção de PIX para seus clientes.

Quais foram as mudanças que o PIX teve desde o lançamento da ferramenta?

Após o lançamento do PIX, a ferramenta teve diversas mudanças no seu funcionamento. Estas mudanças aconteceram para aperfeiçoar a ferramenta e atender melhor toda a população.

Veja algumas mudanças:

A transferência por meio da ferramenta passou a ser cobrada para empresas. Sendo assim, organizações passaram a pagar, o que antes era totalmente gratuito.

O PIX saque e o troco foi uma mudança significativa, para facilitar o saque deste dinheiro para os lojistas.

A partir de um determinado horário no período da noite, a transferência por PIX pode ser feita abaixo do valor de R$ 1.000. Esta mudança foi essencial para oferecer maior segurança aos usuários em relação a roubos e assaltos de contas bancárias

5 Mudança que o PIX trouxe para o mercado financeiro e rotina bancária

O PIX passou a oferecer diversas mudanças para a sociedade, desde o lançamento. Isso aconteceu, porque a população encontrou muitas mais facilidade neste tipo de procedimento e diversos benefícios. 

Sendo assim, veja a seguir 5 mudanças que esta ferramenta proporcionou para a sociedade, mercado financeiro e rotina bancária.

  1. Diminui o tempo de logística nas compras pela internet

A nova transferência bancária passa a ser implantada em e-commerce e muito mais. Como o pagamento é instantâneo, o lojista passa a receber o valor do produto de uma forma muito mais rápida do que por meio de um boleto. 

Sendo assim, os prazos de entregas das compras realizadas pela internet serão bem menores do que quando o pagamento é feito por meio de boleto. Desse modo, teve um impacto muito positivo na gestão de negócios dos prestadores de serviços e também lojistas.

2- As transações podem ser feitas 24 horas por dia durante os sete dias da semana

Com a nova modalidade de transferência, as pessoas podem fazer transações financeiras 24 horas por dia, o que antes era possível apenas em horário comercial. Ou seja, quando as instituições bancárias estavam funcionando. 

Pensando nisso, torna as transferências muito mais flexíveis e fáceis para o cotidiano das pessoas.

3- Diversas opções de instituições financeiras

Com o uso do PIX, as transferências bancárias passam a ser acessíveis para bancos grandes, fintechs e instituições pequenas. Ou seja, fazendo com que as pequenas instituições façam parte do mercado financeiro.

4- Taxas mais baratas

Antes você pagava quanto para fazer uma transferência bancária? Eram taxas significativas. Já com a nova modalidade de transferência, se você é pessoa física, pode transferir um bom valor sem ter que pagar nenhum tipo de taxa, ou até mesmo tarifas muito mais baratas.

5- Economia de tempo

Além de todos os benefícios já mencionados, você terá economia de tempo, com a transferência bancária por meio das instituições financeiras, você tinha que aguardar na fila, gastar com transporte caso você more longe de uma agência e muito mais.

Agora, você pode realizar a transferência com o seu celular, dentro da sua própria casa, sem gastar dinheiro e muito menos tempo para fazer este tipo de procedimento.

Sendo assim, é possível observar que o PIX, foi uma das melhores iniciativas já tomadas pelo governo. Tanto para a sociedade, pois oferece mais facilidade no dia a dia das pessoas, como também para as empresas. Então, foi uma ótima decisão e trouxe diversas mudanças para a sociedade.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorALMT aprova em definitivo veto a ICMS de energia solar
Próximo artigoLíder nacional? Governo de MT pede revisão dos dados sobre desmatamento no Brasil