Welligton diz que Mauro e Taques representam um governo e só se atacam na campanha

Wellington afirmou que Mauro e Pivetta só passaram a criticar Taques por conta das eleições

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O candidato ao Governo do Estado pelo PR, Wellington Fagundes, foi enfático ao dizer, nesta quinta-feira (23), que o postulante Mauro Mendes (DEM) e o governador Pedro Taques (PSDB), que concorre à reeleição, só estão tecendo críticas um ao outro por conta da campanha política – e que os dois representariam um só governo.

“Enquanto [Mauro] ficou quase quatro anos participando do Governo indicando pessoas [secretários] estava tudo certo. Agora no momento de campanha estão se acusando”, disparou o senador e candidato ao Governo de Mato Grosso.

O republicano alega que, pelo fato de o vice de Mauro ter sido o gestor de transição do atual Governo demostra que sempre estiveram juntos. “Foi o [Otaviano] Pivetta que fez toda a transição do governo do Pedro. O secretário de Fazenda [Rogério Gallo] que está lá hoje é nomeado pelo Mauro. O Detran teve presidente [Thiago França] nomeado pelo Mauro”, disparou o republicano, durante entrevista à Rádio Vila Real.

Isso, segundo Wellington Fagundes, colocariam em xeque as declarações de Mauro Mendes e de seu candidato a vice-governador, Otaviano Pivetta (PDT), que têm afirmado publicamente terem se arrependido de apoiar o atual governador nas eleições de 2014.

De acordo com Wellington, o governador e candidato à reeleição tem afirmado que a única oposição é feita pelo republicano.

“O próprio governador disse o seguinte: esse pessoal dissidente não tem moral para falar. Oposição verdadeira é Wellington Fagundes, que já esteve no palanque como adversário”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDenúncia leva Polícias Civil e Federal a interceptarem caminhonete com 290 kg de maconha
Próximo artigoPeru espera chegada de 20 mil venezuelanos nas próximas 48 horas