Voto em um, palanque para dois

PSL e PSDB de MT vão juntos ao Senado, mas os dois partidos têm presidenciáveis diferentes

(Foto: Chico Ferreira / F5)

A aliança entre a pré-candidata ao Senado pelo PSL, juíza aposentada Selma Arruda, e o pré-candidato ao Senado pelo PSDB, deputado federal Nilson Leitão, vai ocasionar a divisão de palanque de dois presidenciáveis em Mato Grosso.

O possível postulante à Presidência da República pelo PSDB, partido de Leitão e do governador Predo Taques, que deve concorrer à reeleição, é o ex-governador de São Paulo (SP) Geraldo Alckmin.

Já o candidato a presidente da República pelo PSL, partido da magistrada aposentada, é o deputado federal pelo Rio de Janeiro (RJ) Jair Bolsonaro.

Nilson Leitão, em entrevista à Rádio Capital, nesta terça-feira (24), disse que essa divisão é normal em palanques regionais. Ele, no entanto, alega que o palanque em Mato Grosso é do PSDB. “O Alckmin terá todo espaço. Alckmin é o nosso pré-candidato a presidente da República genuíno do PSDB”

Leitão amenizou ao dizer que Bolsonaro terá seu espaço em palanques no Estado de Mato Grosso porque a juíza Selma é do partido dele. “Quando Bolsonaro chegar vai ser recepcionado e vai fazer seu discurso, assim como outros partidos que tiverem candidatura”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSem atendimento, homem invade policlínica e ameaça os médicos com uma vassoura
Próximo artigoQuadrilha que agia em roubos a caminhonetes é presa pela Polícia Civil em Rondonópolis