Volta às aulas em Cuiabá: retomada terá sistema híbrido e pais optarão por mandar filhos à escola

Previsão é de que as aulas sejam retomadas em março no sistema híbrido. Decisão vale para a rede pública e privada

(Foto: Pixabay)

A data da volta às aulas na rede municipal de ensino, em Cuiabá, segue sem uma definição. A expectativa é que as atividades sejam retomadas em março, no sistema sistema híbrido, em que os alunos e professores se revezam entre aulas presenciais e virtuais. A prefeitura, contudo, ainda não bateu o martelo.

Já o modelo foi definido. Os pais poderão optar por mandar (ou não) os filhos à escola. A informação é da secretária de Educação Edilene de Souza Machado.

“Todas as unidades têm um plano de retomada com segurança. O primeiro deles é a opinião dos pais. Caso retorne no sistema hibrido, precisamos da liberação do pai. O responsável que não se sentir seguro tem o direito do filho permanecer matriculado e receber as atividades online”, informou.

LEIA TAMBÉM

A prefeitura afirma estar preparada para três cenários: continuidade das aulas remotas, sistema híbrido e 100% presencial. “Estamos preparados para isso. Inclusive, no dia 25 deste mês teremos a semana pedagógica em formato de webnário”, disse a secretária.

Mas com o avanço da segunda onda de covid-19, a escolha do modelo de ensino pode ser alterada. Segundo o boletim da própria prefeitura, na última semana o município registrou da média de óbitos diários, passando de uma para seis mortes por dia.

“Mas a decisão é da [secretaria] Saúde. A Educação trabalha no ensino e aprendizagem. Temos um comitê que levanta os índices e passa para o prefeito, que toma a decisão”.

Rede privada

Enquanto isso, a rede particular segue sem definição. Na semana passada, a categoria se reuniu com a prefeitura e entregou um plano para a retomada das atividades. A retomada deve ser feito no mesmo período que a rede municipal.

Em setembro do ano passado, a prefeitura autorizou a reabertura apenas da educação infantil nas escolas particulares. O setor, porém, alega perdas consideráveis e faz pressão para a reabertura total. Ainda em julho de 2020, o número de alunos matriculados já havia caído cerca de 40%.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCuiabá deve vacinar 7,5 mil pessoas contra a covid-19 a partir de quarta-feira
Próximo artigoO primeiro vacinado