Vista ao passaporte sanitário

Votação de projeto de lei que proíbe a cobrança tem impasse na Assembleia Legislativa de Mato Grosso

Foi adiada a votação em segundo turno do projeto de lei que proíbe a implantação do passaporte sanitário em Mato Grosso.

O texto entrou em pauta novamente nesta terça-feira (7) na Assembleia Legislativa e teve pedido de vista pelo deputado estadual Eduardo Botelho (DEM). Ele disse que quer analisar a proposta para se chegar a um meio termo sobre o assunto.

“Eu entendo que é incabível o padre, o pastor ficarem na porta das igrejas pedindo a apresentação do comprovante de vacina. Mas para boates e festas com grande aglomeração tem que ter. A vacina é o único para controlar a covid”, disse.

O Projeto de Lei n° 780/2021, aprovado pela maioria dos deputados em primeira votação, proíbe que estabelecimentos comerciais exijam o comprovante de vacinação para permitir a entrada.
O projeto é de autoria da deputada estadual Janaína Riva (MDB), que diz ser necessário “garantir o direito de ir e vir” previsto na Constituição.

Na sessão de hoje, parte da galeria no plenário estava ocupada por pessoas com faixas e cartazes com frases sobre a “liberdade individual”.

Botelho, ao pedir vista do projeto, disse que “Mato Grosso caminha na contramão do mundo” ao não exigir o passaporte. A vista foi compartilhada com outros quatro deputados.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

2 COMENTÁRIOS

  1. Porque todo mundo faz errado, o errado vira certo agora? Botelho, se você tem honradez deixa de sentar em cima desse Projeto de Lei, e obedeça a vontade da maioria (seria democracia?) e deixe seguir o processo correto para virar Lei!
    E falando de fatos, você sabe bem que a vacina não tá impedindo, nem diminuindo a chance de contágio, só ver países europeus amplamente vacinados e com números que só crescem. Mesmo exigindo a estrela de Davi no braço para entrar em locais privados e circular em parques (ops, é passaporte sanitário, é que no fim é a mesma coisa), os números só tem crescido.

  2. É inconcebível um projeto de lei estadual para garantir o que diz a CF, como se fosse necessário uma coisa desse tipo. Enfim, o Brasil virou uma anarquia provocada pelo legislativo e pelo judiciário, tudo pode, nada mais é proibido, a CF foi implodida.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior“O vice quem vai escolher sou eu”, diz Bolsonaro sobre 2022
Próximo artigoVenom 3 já está em desenvolvimento; confira