Vigilância encontra “inconformidades” em restaurante após intoxicação de clientes

Apesar disso, a análise foi inconclusiva porque os afetados já não tinham mais sintomas que possibilitassem coleta de material

No restaurante são servidas até 400 refeições por dia e o cardápio é elaborado por nutricionistas

A Vigilância Sanitária de Cuiabá informou ter encontrado “inconformidades” em um restaurante da Capital onde clientes dizem ter sofrido intoxicação alimentar. Os episódios ficaram inconclusivos, entretanto, por causa da demora na notificação dos casos.

O resultado da fiscalização foi divulgado nesta quinta-feira (23). Conforme a gestora do Centro de Informações Estratégicas da Vigilância, Moema Blatt, os clientes identificados com sintomas de intoxicação já não tinham mais no organismo material biológico que possibilitasse a coleta e a avaliação dos alimentos ingeridos. O processo é usual para a identificação do distúrbio.

“Por terem sido tardias as notificações dos casos à Vigilância em Saúde, as pessoas já estavam assintomáticas, o que inviabilizou a coleta de material biológico para diagnóstico laboratorial. Ou seja, impossibilitam a identificação do agente causador dos sintomas e a identificação dos alimentos mais suspeitos”, explicou.

Segundo Moema, vários casos de possível intoxicação alimentar foram notificados. Os sintomas apresentados pelos pacientes foram náusea, vômito, diarreia, cefaleia, febre e dor abdominal, todos sinais típicos de intoxicação alimentar.

A Coordenadoria de Vigilância Sanitária disse que realizou a inspeção de praxe, encontrando inconformidades que motivaram a notificação do estabelecimento para regularização.

Agora, o restaurante está sendo monitorado pela fiscalização sanitária para evitar novas ocorrências.

Quanto às inconformidades identificadas, a Vigilância Sanitária informou que não detalha a situação por princípio ético profissional. Mas disse que elas podem ser referentes a coisas para além da bebida e dos alimentos.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

  1. O procedimento é alguém ser intoxicado, para depois monitorar os restaurantes? Sabemos que exitem alguns que não agem dentro da lei com as obrigações trabalhistas dos seus funcionários. E se um desses insatisfeitos sabotar a comida? Alguém precisa passal mal e até morrer para que haja uma fiscalização mais rígida?

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEntre as lentes da alma e do celular
Próximo artigoOrçamento de R$ 3,27 bilhões

O LIVRE ADS