Vídeo | Vestidas de “irmãs” evangélicas, mulheres roubam carro e sequestram motorista

A ação das assaltantes foi filmada pelas câmeras de segurança de uma empresa - assista!

O circuito interno de segurança de um empresa localizada na Avenida Presidente Marques, centro de Cuiabá, registrou o exato momento em que uma motorista, de 50 anos, teve o carro roubado e foi sequestrada, na noite de segunda-feira (14).

O fato chamou a atenção porque, conforme as imagens, as assaltantes são três mulheres. Elas estavam vestidas como “irmãs” de igreja, com saias longas, camisa de mangas compridas e com o cabelo amarrado em coque. Uma delas também segurava uma bíblia.

O caso aconteceu por volta das 21h40. O carro da vítima, um VW Fox, estava estacionado na rua Corsino do Amarante, na esquina com a Avenida Presidente Marques.

Enquanto a motorista do carro atravessa a avenida e segue em direção ao carro, um trio de mulheres passa pelo veículo. A vítima destrava o carro, abre a porta do passageiro e coloca sua bolsa. Depois, dá a volta para entrar no carro.

Acontece que, enquanto a mulher se dirige para o banco do motorista, o trio de assaltantes volta para o carro. Nessa hora, uma das ladras já está com uma arma na mão.

Pelo vídeo é possível ver que a assaltante obriga a motorista a entrar no banco de trás. Em seguida, as comparsas se aproximam e também entram no carro.

Ameaça

Depois de ser abandonada próximo ao Centro de Eventos do Pantanal, a vítima registrou o caso da delegacia.

Segundo contou, uma das mulheres estava com uma bíblia na mão, enquanto a outra “irmã” anunciou o assalto.

A vítima contou que foi obrigada a entrar no carro, porque as assaltantes estavam armadas. Disse ainda que durante todo o trajeto ela era ameaçada.

O carro foi recuperado pela Polícia Militar no Bairro Altos da Boa Vista. No entanto, a bolsa da mulher não foi recuperada. O caso segue sendo investigado pela Polícia Civil.

Confira o vídeo abaixo:

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS