Vereadores arquivam CPI e livram Emanuel Pinheiro de cassação

Relatório final pedia afastamento e perda do mandato do prefeito de Cuiabá

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

A Câmara Municipal de Cuiabá rejeitou nesta terça-feira (29) o pedido de afastamento e abertura de processo de cassação do mandato contra o prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB).

A decisão do plenário foi dada em sessão extraordinária na qual 15 vereadores votaram contra o relatório final da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do Paletó, que investigou a suspeita de recebimento de propina de R$ 50 mil mensal pelo prefeito Emanuel Pinheiro enquanto exerceu o mandato de deputado estadual.

Votaram a favor do afastamento somente oito vereadores. Ainda houve uma ausência. Diante disso, o relatório final da CPI será arquivado e não produzirá nenhum efeito político.

Essa foi a segunda vez que a Câmara Municipal rejeitou o relatório final da CPI do Paletó. No dia 16 de julho, também houve rejeição pela maioria dos vereadores, mas uma nova votação se tornou necessária diante de uma liminar concedida pela Justiça que entendeu pela violação ao Regimento Interno no procedimento da votação, atendendo pedido formulado pelo vereador Marcelo Bussiki (DEM).

A sessão desta terça-feira (29) foi conturbada e houve troca de acusações entre vereadores da oposição e situação. O diretório municipal do partido Solidariedade recomendou a votação contrária à aprovação do relatório final da CPI do Paletó, o que atingiria os vereadores Vinicyus Hugueney e Sargento Joelson. No entanto, o vereador Sargento Joelson descumpriu a orientação partidária.

Votaram pelo arquivamento do relatório da CPI os vereadores Vinicyus Hugueney (Solidariedade), Adevair Cabral (PTB), Orivaldo da Farmácia (Progressistas), Adilson Levante (PSB), Aluízio Leite (PV), Ricardo Saad (PSDB), Dr. Xavier (PTC), Juca do Guaraná (MDB), Justino Malheiros (PV), Luciana Zamproni (PTB), Luís Cláudio (Progressistas), Marcrean Santos (Progressistas), Mário Nadaf (PV), Renivaldo Nascimento (PSDB) e Toninho de Souza (PSDB).

A favor do afastamento e abertura de cassação contra Emanuel Pinheiro votaram os seguintes vereadores: Abílio Junior (Podemos), Diego Guimarães (Cidadania), Dilemário Alencar (Podemos), Felipe Welaton (Cidadania), Lilo Pinheiro (PDT), Marcelo Bussiki (DEM), Sargento Joelson (Solidariedade) e Wilson Kero Kero (Podemos). O vereador Clebinho Borges (PSD) foi o único ausente.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorFake news: publicar e repercuti-las pode gerar multa e prisão de 8 anos
Próximo artigo“Auxílio emergencial não é para sempre”, afirma Bolsonaro