Vereador acusa secretário de permitir ônibus velhos na frota de Cuiabá

Vereador por Cuiabá, Abílio Júnior (PSC). Foto: Secom/Câmara de Vereadores

O vereador por Cuiabá Abílio Júnior (PSC) acusou, durante a sessão legislativa desta terça-feira (03), o secretário de Mobilidade Urbana do município, Antenor de Figueiredo, de cometer crime de responsabilidade por irregularidades nos contratos firmados com as empresas que prestam serviço de transporte público da Capital.

O parlamentar solicitou a aprovação urgente de requerimento para que o secretário vá a Câmara prestar esclarecimentos. “Ele já veio aqui, reuniu-se a portas fechadas com outros vereadores e não apresentou nenhum posicionamento sobre esses contratos. Aqui não é só para se fazer política, tem que ter técnica administrativa, fiscalização”, declarou o vereador.

Acontece que, conforme o vereador, as empresas responsáveis pelo transporte público de Cuiabá estão trafegando com uma frota com idade média acima do estipulado em contrato. Segundo ele, o tempo de uso é superior a 6 anos, enquanto o contrato determina que seja de no máximo de 4 anos e meio.

“Isso faz com que os ônibus consumam mais combustível e apresentem mais problemas mecânicos, passando por mais manutenção e encarecendo a tarifa”.

Ainda de acordo com o parlamentar, gasto de combustível e manutenção dos veículos foram, inclusive, justificativas apresentadas pelas emprestas para o aumento do preço da tarifa de ônibus, aprovado no ano passado.

Outro lado

O secretário de Mobilidade Urbana do município, Antenor de Figueiredo, informou, por meio de nota, que a Pasta não aceita as péssimas condições da frota da Capital, que já foram retirados de circulação os ônibus de 2006 e faltam poucos de 2007, cuja substituição está sendo providenciada. Alegou ainda que toda frota é fiscalizada por agentes treinados.

Confira a nota na íntegra

Houve uma reunião no mês passado na Câmara Municipal juntamente com outros vereadores, justamente sobre esses ônibus que estão com a idade média vencida. Na ocasião foi explicado que eram pouco os ônibus e que foram realizadas vistorias em todos os veículos.  

Todas as empresas mandam para a Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) um cronograma de troca de ônibus, houveram empresas que apresentaram problemas para o cumprimento desse cronograma. Foi solicitado junto aos proprietários uma reunião que teve como efeito a retirada dos ônibus que estavam com a idade média vencida. Mesmo com o fim próximo do contrato de concessão, impossibilitando assim os proprietários adquirirem novos ônibus, a Semob não aceita as péssimas condições da frota circulando na Capital.

Já foram retirados os ônibus de 2006, restando pouco de 2007 e que já está sendo providenciada a troca dele, previsto em contrato. Já em relação a vistoria, toda a frota é fiscalizada por agentes treinados e aqueles que apresentam defeitos, colocando em risco a segurança dos usuários, esse é imediatamente recolhido ou encaminhado para fazer os consertos adequados.

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorNúmero de ocupados cresce entre menos escolarizados, jovens e mulheres, diz Ipea
Próximo artigoRomoaldo diz nunca ter visto cheque de desvios no Detran-MT