A velha política se fortalece

Para o brasileiro que está na rua desde 2013 lutando contra a corrupção, a última semana foi de reveses. Com a grande renovação no congresso nacional em 2018, a expectativa era que vários degraus rumo a uma nação desenvolvida, próspera e de oportunidades surgisse.

Porém, grande parte do Congresso Nacional tem se comportado igualmente aos seus antecessores e isso culminou com a derrubada dos vetos da Lei de Abuso de Autoridade, como resultado, já temos lido na imprensa que juízes estão arquivando inquéritos com base nesta nova lei.

O Supremo Tribunal Federal (STF) legislando uma nova regra, que pode retroagir e beneficiar todos os condenados pela operação Lava Jato, operação esta que tem previsão de devolução de quase R$ 50 bilhões. Valores que poderiam ser usados na saúde, educação e segurança, mas que infelizmente foram desviados pela corrupção sistêmica. Desses escândalos, quantos corruptos foram presos antes da Lava Jato? Pouquíssimos.

Vetos parciais da nova lei eleitoral, facilitarão o caixa 2, o que permite que partidos políticos usem recursos públicos para adquirir bens, e pagar sem limites advogados e contadores para defenderem políticos de possíveis crimes eleitorais, sendo ele eleito ou não. Esse dinheiro todo é proveniente dos nossos bolsos, do meu, e do seu imposto. Vale ressaltar que o Partido Novo é contra o fundo partidário e eleitoral e não faz uso destes recursos.

Neste cenário de mudanças negativas, mais mudança no Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF), demissões na Policia Federal, faz com que o momento seja grave, e traga muita insegurança jurídica, o que acaba afastando investidores. São exemplos de que a velha política segue se fortalecendo nos bastidores.

Não podemos minimizar estes fatos e mais do que nunca é preciso da sociedade brasileira resiliência, coragem e participação ativa na luta contra a corrupção e desmandos. Temos que valorizar e proteger nossa democracia. Toda mudança é muito difícil, mas uso da liberdade democrática para dizer o quanto vejo tudo isso com indignação.

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

JUNIOR MACAGNAM é empresário, presidente do Sincalco-MT e filiado ao partido Novo.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTCE notifica governador sobre desmatamento ilegal em reserva extrativista na Amazônia
Próximo artigoGosta de azeite? Mapa suspende 33 marcas; confira

O LIVRE ADS