Veja quem são os 20 maiores compradores do agro brasileiro

China segue na liderança, mesmo com redução de 12,5% nas compras da soja brasileira

Foto: Ivan Bueno / Appa

A China segue na liderança como o principal destino dos produtos do agronegócio brasileiro. Foi o principal país importador em 2019. Mas, devido a peste suína, as aquisições tiveram uma redução de 12,5% no ano, ocasionando a queda também no valor total das vendas, que passou de US$ 35,44 bilhões, em 2018, para US$ 31,01 bilhões, em 2019.

A queda ocorreu em função do redução do volume importado de soja em grão. Com a peste suína, cerca de 2,6 milhões de porcos acabaram sendo abatidos, segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

LEIA TAMBÉM

Em 2018, a China importou 68,56 milhões de toneladas de soja em grãos brasileiras. No último ano, a quantia diminuiu para 57,96 milhões, redução de 10,6 milhões de toneladas nas importações de soja em grãos brasileira.

Apesar da redução, os envios da soja mato-grossense foram mantidos.

Com o menor volume, o valor adquirido de soja em grão diminuiu de US$ 27,23 bilhões
em 2018 para US$ 20,50 bilhões em 2019. Por outro lado, houve crescimento das exportações de inúmeros outros produtos, que compensaram – em parte – a queda das exportações de soja em grãos.

Outros mercados

Na relação dos 20 principais importadores do agronegócio brasileiro (veja tabela abaixo), depois da China, figuram Estados Unidos, Países Baixos, Japão e Irã.

Segundo dados do Ministério da Agricultura, três países tiveram crescimento das aquisições acima de dois dígitos: Japão com alta de 57,3%, gerando receita na ordem de US$ 3,34 bilhões, México com alta de 41,3%, movimentando US$ 1,29 bilhão em negócios e a Rússia com alta de 20,3%, cujas comercializações alcançaram US$ 1,27 bilhão.

Segundo dados da Secretaria de Comércio e Relações Internacionais do Mapa, no caso do Japão, as exportações de milho foram as responsáveis pelo incremento de dois dígitos nas exportações do agronegócio brasileiro.

Em 2018, o Brasil exportou US$ 40,67 milhões em milho para o Japão (238 mil toneladas). Já no ano de 2019, as exportações de milho subiram para US$ 1,15 bilhão ou o equivalente
a 6,9 milhões de toneladas do cereal.

O incremento das exportações de milho também foi responsável pelo aumento das exportações ao México. As vendas externas de milho para o México subiram de US$ 19,4 milhões em 2018 (129 mil toneladas) para US$ 320,0 milhões em 2019 (1,9 milhão de toneladas).

Já para a Rússia, o produto que teve maior contribuição para o crescimento das exportações brasileiras do agronegócio foi a carne bovina in natura. As exportações do produto subiram de US$ 11,48 milhões em 2018 para US$ 212,59 milhões em 2019.

Juntos os 20 países da lista foram responsáveis pela aquisição de 75,3% dos US$ 96,8 bilhões exportados pelo Brasil em produtos do agronegócio.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGoverno anuncia aumento do piso salarial dos professores
Próximo artigoGoverno de MT fecha e entrega escolas aos municípios; entenda o motivo da mudança

O LIVRE ADS