Doar o cabelo vai te fazer mais feliz do que vê-lo no lixo; saiba como!

Projeto da Casa da Amizade de Lucas do Rio Verde doa perucas ao MT Mamma e Hospital do Câncer de Mato Grosso. Faça sua doação!

A Casa da Amizade realiza a campanha "Corte Solidário" para recolher doações (Divulgação)

Sabia que o cabelo que você abandona no salão de beleza pode ter um destino melhor que o lixo? Em Mato Grosso, a Casa da Amizade recebe doações de mechas que viram perucas para pacientes em tratamento do câncer, ou seja, além de ter uma atitude mais sustentável, você acaba colaborando com uma boa causa.

Essa é a premissa do projeto Força na Peruca, desenvolvido por voluntárias da casa vinculada à Associação de Mulheres Rotarianas de Lucas do Rio Verde (a 360 km de Cuiabá).

Em Cuiabá, há postos de coleta das mechas doadas no MT Mamma e Hospital do Câncer. Mas também dá para enviar doações via Correios.

E não há qualquer restrição: pode ser cabelo alisado, com tintura, cacheado ou sem intervenção química. O tamanho mínimo das mechas é de 15 centímetros. Mas se você quer colaborar, é preciso conversar previamente com o cabeleireiro.

Preparativos para a doação

Antes de cortar, é necessário lavar, secar e separar em mechas. A técnica é amarrar com elásticos e cortar acima da marcação. Depois, acondicionar em um saco plástico. É isso que garante melhor aproveitamento do material.

Ao chegar à oficina, em Lucas do Rio Verde, as mechas são separadas por cor, depois, os fios são conectados e, enfim, costurados a uma tela.

Há pedidos que passam na frente da produção regular, explica uma das coordenadoras do projeto, Luciane Weissheimer Engelbrecht.

“Alguns são urgentes e, nesse caso, todas as atenções estão focadas no pronto atendimento”.

Mulheres de todo o Estado são beneficiadas com as doações gratuitas.

Pontos de doação

Em Cuiabá, o MT Mamma e Hospital do Câncer, além de serem parceiros na coleta das doações, também realizam as entregas.

“Em outubro, por ser um mês de prevenção, zeramos o estoque. Boa parte foi direcionada a mulheres que passam por tratamento em Cuiabá”.

Agora, as voluntárias retornam de um período de recesso e as máquinas estão trabalhando aceleradamente para recompor o estoque. O trabalho, segue durante o ano todo, com pico no período das campanhas do Outubro Rosa. “Mas, desenvolvemos ações durante o ano todo”.

Doação singular

Responsável pela acolhida das mulheres que procuram por perucas no MT Mamma, Glaucia Sebastiana de Freitas ressalta que a solidariedade de mulheres e homens que doam seus cabelos fortalece a caminhada de quem enfrenta a doença.

“Não é nada material, é uma extensão do corpo e da alma da pessoa. Quando ela doa o cabelo, está doando uma parte de si. Isso é singular”.

Glaucia já participou de momentos emocionantes na entrega das perucas.

“Certa vez, uma moça que já havia perdido os cabelos com a quimioterapia chegou de peruca, mas não havia se adaptado. Pediu para trocar. Ela desfilou para gente, ia para dentro do banheiro, trocava e voltava com a nova”, relembra.

Mas em momento algum, a moça se revelou sem o acessório: “até que ela encontrou o cabelo perfeito, saiu esfuziante. Criou amor pela peruca”, sorri.

Outras, passam o período de três meses do empréstimo e, quando precisam renová-lo, saem de lá com novidade: “elas falam: ‘estava morena e agora quero ficar loira’. A gente sempre estimula essa resposta espirituosa”.

Ferramenta de autoestima

A equipe do Força na Peruca confecciona perucas que se adequam a todos os estilos: lisa, ondulada e cacheada

Boa parte dessas bravas guerreiras chegam atordoadas e a equipe do MT Mamma faz de tudo para motivá-las. A peruca é uma ferramenta para trazer a autoestima de volta às mulheres que perderam os fios em decorrência dos efeitos da quimioterapia.

Presidente do MT Mamma, Cleuza Dias, explica que a parceria com o Força na Peruca começou em outubro do ano passado, em regime de comodato. Agora, o MT Mamma não precisa comprá-las, pois encaminha os cabelos à Casa da Amizade e recebe as perucas para distribuí-las.

Hoje, a associação tem 60 perucas, 50 delas, emprestadas. Se você sabe de alguém que precisa, peça para procurar o MT Mamma em Cuiabá, pois há 10 delas à disposição das mulheres em tratamento.

Cleuza destaca que além do empréstimo de perucas, a associação oferece apoio psicossocial, orientação jurídica, terapias naturais, em grupo, hidroginástica e aulas de artesanato.

A presidente da MT Mamma, Cleuza Dias Leite posa em frente à vitrine de perucas disponíveis para empréstimo (Divulgação)

Hospital do Câncer

Assim como no caso do MT Mamma, os doadores que levam mechas de cabelo à Central de Captação do Hospital do Câncer assinam um termo e recebem um certificado de doação.

De acordo com o supervisor de Desenvolvimento Institucional, Tomáz Beckert, as perucas ficam disponíveis no Serviço Social para qualquer paciente do hospital que esteja em tratamento.

Ele é responsável pelo setor de doações do HCanMT e conta que a parceria se estabeleceu pouco tempo depois do Força na Peruca começar, há um ano e meio. Ao todo, 60 perucas já foram emprestadas.

Como surgiu o Força na Peruca

Sororidade: Elas trabalham voluntariamente para trazer autoestima a outras mulheres

Luciane conta que o projeto surgiu quando uma das voluntárias, Rose Ida, conheceu a idealizadora do Força na Peruca de Ji-Paraná (RO), Silvia Cristina.

“Começamos a apoiar Rose na coleta dessas doações e mandar para lá”.

Logo, Sílvia fez um convite para que a voluntária da Casa da Amizade fosse até Rondônia  conhecer o projeto. Quatro mulheres foram e aprenderam a produzir as perucas.

A Casa da Amizade, por sua vez, contou com apoio de empresários de Lucas do Rio Verde para equipar a oficina. Em maio de 2020, o projeto completa dois anos.

“Trazer a autoestima a mulheres é o que move nosso trabalho. São muitas as declarações que ouvimos, mas certamente a que nos emociona mais é quando a mulher diz: ‘agora, sim, posso me olhar no espelho’”.

A Casa da Amizade, presidida por Cleia Dal Bem, também desenvolve outras ações sociais como o projeto Leve, Leia e Devolva, de incentivo à leitura.

A ideia é promover a democratização ao acesso da literatura. “O leitor pega o livro e depois o devolve para que outra pessoa tenha a mesma oportunidade”, explica Luciane.

A casa recolhe livros doados e os deposita em geladeiras reformadas, que iriam para descarte, mas a partir daí passam a fazer as vezes de estantes.

Serviço

  • MT Mamma: R. Amâncio Pedroso de Jesus Neto, 9 – Jardim Petrópolis, Cuiabá-MT. Telefone: 3052-8758.
  • Hospital do Câncer: Av. Historiador Rubens de Mendonça, 5500, Cuiabá-MT. Telefone: 3648-7575.
  • Quer enviar o material pelo correio? A Casa da Amizade fica na Rua Marechal Cândido Rondon, nº 163, Lucas do Rio Verde / CEP 78.455-000. Mais informações: (65) 99942-4312.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCarnaval impulsiona turismo e hotelaria em Mato Grosso
Próximo artigoProdutores entram com ação no STF para suspender o Fethab em MT