Vacinas: Mais 57.550 doses chegam a Mato Grosso na quinta-feira

Carregamento atenderá os grupos prioritários conforme a Campanha Nacional de Vacinação

Deslocamento e transporte de doses da vacina para municípios do Estado pelo Ciopaer - Foto por: Christiano Antonucci

Uma nova remessa de vacinas chegará em Mato Grosso às 10h20 desta quinta-feira (08), no Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, por um voo da Azul. O Ministério da Saúde informou o envio de 57.550 doses para a imunização dos grupos prioritários da Campanha Nacional de Vacinação contra a Covid-19.

Para Mato Grosso, serão enviadas 31.750 doses da vacina da AstraZeneca e 25.800 doses da CoronaVac.

As unidades da AstraZeneca são destinadas à segunda dose para trabalhadores da saúde e primeira dose para idosos entre 65 e 69 anos.

Já as unidades da CoronaVac serão utilizadas como segunda dose para trabalhadores da saúde e idosos entre 70 e 74 anos e como primeira dose para profissionais das Forças Armadas, de Segurança e Salvamento e idosos entre 65 e 69 anos.

Para a vacina CoronaVac, o prazo de aplicação da segunda dose varia entre 14 e 28 dias; para o imunizante da AstraZeneca, o prazo é de até 90 dias.

Imediatamente após a chegada do imunizante, as equipes da Vigilância Estadual trabalharão no recebimento das doses, na conferência da quantidade, na catalogação dos imunizantes e no encaixotamento para distribuição e retirada dos municípios.

Simultaneamente à operação logística, as equipes administrativas trabalham na resolução da Comissão Intergetores Bipartite (CIB), colegiado que oficializa o quantitativo de doses a ser destinado para os 141 municípios.

Até o momento, Mato Grosso já recebeu 561.210 doses de imunizantes contra a Covid-19.

(Da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorHomem tenta matar esposa com uma tijolada
Próximo artigoNeurilan Fraga classifica como ‘absurda’ declaração de secretário de Saúde