Vacinação contra febre aftosa atinge 99,63% do rebanho em Mato Grosso

Balanço foi divulgado pelo Indea na tarde desta quinta e apontou resultados positivos para o Estado

Mato Grosso vacinou 99,63% de todo o rebanho de bovinos e bubalinos na primeira etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa de 2018. O levantamento foi apresentado pelo Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea) na tarde desta quinta-feira (9).

De acordo com a presidente do Indea, Daniella Bueno, o Estado continua apresentando resultados positivos nas campanhas de vacinação. Nesta primeira etapa, realizada entre os dias 1º de maio e 15 de junho, foram 29,5 milhões de cabeças vacinadas.

Daniella observou que Mato Grosso tem conseguido manter, desde 2005, os índices de vacinação acima de 99%. “Mais uma vez o Estado comprova que tem uma cadeia bem alinhada. Eles trabalham em comum o direcionamento, no sentido de ter uma sanidade animal de excelência“, avaliou.

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre) – Daniella Bueno, presidente do Indea

Hoje o rebanho total do Estado é de 30 milhões de cabeça de bovinos e bubalinos – quando se inclui a quantidade presente no Pantanal -, sendo que o município onde há maior concentração é Juína (distante 733 km de Cuiabá), com 3,1 milhões, seguido de Matupá (distante 685 km), com 2,9 milhões, e Alta Floresta (distante 800 km), com 2,6 milhões.

Segundo o levantamento do Indea, a supervisão de Cuiabá, que compreende 13 municípios da região, foi a com menor taxa de vacinação por propriedade. Isso porque, das 10.286 áreas cadastradas, 443 delas não possuem registro de vacinação.

[featured_paragraph]A presidente do Indea explicou que a falta de registro não significa, necessariamente, que as cabeças não foram vacinadas. “Todas as propriedades estão sendo visitadas pelo Indea e a vacinação está sendo acompanhada pelo Indea, no caso de quem não vacinou. E aí essas propriedades vão ser autuadas. Tem ainda aquelas que simplesmente perderam o prazo de comunicação e vão fazer agora”, disse.[/featured_paragraph]

O diretor da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Francisco Manzi, também considerou o resultado positivo e destacou a contribuição dos produtores. “Nós, produtores, somos responsáveis por comprar, observar, observar, transportar, aplicar, comunicar. E é o que a gente vem fazendo e desde 2005 temos números superiores a 99%. Nós queremos contribuir para o rumo da meta até a retirada da vacinação”.

O secretário do Sindicato Rural de Cuiabá, Juarez de Miranda, e o Secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec), Alexandre Possebon, também estiveram presentes na apresentação do balanço. Eles destacaram a importância da vacinação para que Mato Grosso e o Brasil consolidem a classificação de zona livre da aftosa, conforme foi reconhecido mundialmente, em maio deste ano.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCuiabá terá mínima de 17 graus e Chapada de 11 no fim de semana
Próximo artigoPolícia de MT recupera 60 garrafas de whisky e 336 caixas de cerveja desviadas em MS