Vacinação contra a covid-19 deve começar em março em Cuiabá

Coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Valéria de Oliveira diz que município trabalha para distribuir doses a 64 pontos de imunização já abertos

(Foto: Reprodução/Internet)

A campanha de vacinação contra a covid-19 em Cuiabá deve começar apenas no próximo mês de março, mas o planejamento de logística da Secretaria de Saúde indica alguns números de como a imunização será realizada.  

A Vigilância Epidemiológica busca ampliar o estoque de armazenamento de doses para dar condições de receber lote maior do Ministério da Saúde. Hoje, a rede de saúde dividida em quatro regiões tem condições de estocar 80 mil doses, com acompanhamento de soro e diluente. 

Esse volume fracionaria a campanha em até sete etapas de 80 mil vacinações por vez, considerando simplesmente a população de 612 mil habitantes – modo de operação seguirá o plano do Ministério da Saúde por grupo prioritário. 

LEIA TAMBÉM: 

Conforme coordenadora da Vigilância, Valéria de Oliveira, a Secretaria de Saúde avalia a compra de outros três refrigeradores que elevariam o estoque para 120 mil. E a negociação deve ser concluída antes do início da campanha. 

“Nós temos uma central da qual fazemos a logística de qualquer campanha de vacinação. Hoje, nas quatro regiões de saúde de Cuiabá, temos 64 postos de vacinação na atenção básica, e o plano é utilizar todos esses pontos. Para isso, termos que também aumentar o número de vans refrigeradas de duas para quatro, cada um sendo responsável por atender uma região”, explica.   

 A secretaria ainda não sabe qual vacina irá receber do Ministério da Saúde. Contudo, a produzida pela Universidade Oxford, junto com a farmacêutica Pfeizer, não está nos planos, visto que ela exige uma manutenção de refrigeração em 70 graus negativos. 

“Os refrigeradores que estamos pesquisando é para a manutenção de vacina em situação padrão, digamos assim, entre dois e oito graus negativos. As vacinas são mantidas nessa temperatura”, pontua a coordenadora. 

Questionada sobre o início da campanha, Valéria de Oliveira afirma que as informações recebidas até o momento do Ministério de Saúde são “preliminares”, o que significa que a situação pode mudar de um dia para outro. 

Mas a expectativa é de que o município tenha condições de dar início à imunização a partir de março, dependendo do formato das remessas que serão liberadas. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorLivres da covid: 15 países no mundo ainda não registraram casos da doença
Próximo artigoEstado notifica Prefeitura a aguardar rotas do BRT para evitar desperdício de dinheiro público