Entidades do agro pedem urgência na votação de projeto que perdoa dívidas do Funrural

O pedido de urgência do PL 9252/17 foi aprovado nesta quarta-feira (05) durante sessão do plenário

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

A aprovação do regime de urgência para a votação do projeto de lei – PL 9252/17, que propõe o perdão das dívidas do Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural (Funrural), referentes ao período entre 2000 e 2017, foi apoiada por associações do setor produtivo. A admissão da celeridade ocorreu ontem (06), na Câmara dos Deputados, em Brasília.

O projeto de autoria do deputado Jerônimo Goergen (PP-RS) e coordenador de Infraestrutura e Logística da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), agora, passa a ter preferência para votação e deve ser discutida em caráter de urgência, na próxima sessão do plenário.

A Associação de Criadores de Mato Grosso – Acrimat, se demostrou contente com a decisão. Em nota, a entidade diz apoiar o PL por considerar que se trata de um passivo impagável para a maioria dos pecuaristas e que compromete a produção agropecuária. A associação defende que a aprovação do PL 9252/2017 é “a única alternativa para o setor produtivo continuar gerando alimentos para a sociedade brasileira”.

O projeto também foi aprovado e apoiado pela Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), que em nota afirmou dar todo o apoio necessário aos parlamentares. “Para que os mesmos possam obter sucesso na aprovação desse Projeto de Lei”.

Representante de 16 associações estaduais, a Aprosoja Brasil também apoiou o requerimento de urgência. Em nota afirmou estar dando o apoio necessário aos parlamentares para que o trabalho seja feito de forma “célere e positiva para os produtores rurais brasileiros”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVídeo. Bandidos se passam por clientes, fazem reféns e roubam cervejaria
Próximo artigoMãe posta foto da turma e denuncia preconceito contra sua filha deficiente em escola pública