Unanimidade: por 69 a 0, Alerj aprova pedido de impeachment de Witzel

Governador é investigado por um esquema de corrupção com as verbas destinadas a combater a pandemia de COVID-19

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (ALERJ) aprovou, nesta quarta-feira (23), o pedido de impeachment do Governador Wilson Witzel (PSC). Ao todo, 69 parlamentares votaram, mas nenhum votou a favor de Witzel.

A votação é o primeiro passo para o afastamento definitivo do governador, agora o processo será votado em Tribunal Misto formado por cinco deputados e cinco desembargadores do Tribunal de Justiça que decidirão o futuro do governador.

O que motivou o pedido

O pedido de impeachment se baseou na denuncia de improbidade administrativa e mau uso do dinheiro público na Saúde em meio à pandemia do coronavírus. As denúncias surgiram com base nas operações Placebo e Favorito, onde foi encontrado evidências de corrupção.

O governador ainda é acusado de receber propina das empresas ligadas ao esquema através de contratos falsos firmados com o escritório da primeira-dama Helena Witzel. De acordo com as acusações, o governador teria recebido pelo menos R$ 554,2 mil.

Brigas com Bolsonaro

Mesmo tendo usado o nome de Jair Bolsonaro na campanha, a relação dos dois não demorou a amargar e ambos tornaram-se adversários. O atrito entre eles ainda se intensificou em 2020.

O presidente Jair Bolsonaro alega que Witzel teria ambições de sucedê-lo na Presidência, nas eleições de 2022. O governador do Rio de Janeiro ainda teria começado uma perseguição contra deputados da Base de Bolsonaro no Rio de Janeiro.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEm tom de campanha, Pinheiro diz que sofreu “armação” e fala em expor “inimigos”
Próximo artigoSomente 1% de adolescentes do sexo masculino vai ao médico