Um amor para chamar de meu, um apê para chamar de nosso

Facilidades de negociação aproximam jovens casais de namorados da independência do próprio espaço; setor aposta em nicho com promoções especiais

Aproveitando o clima de romance no ar, construtoras investem em estratégias de negócio para quem sonha com o primeiro imóvel. Atualmente, o mercado imobiliário cada vez mais se dedica a propostas comerciais que vão além do estado civil do comprador e empreendimentos como os da MRV, plataforma de soluções habitacionais, oferece uma série de condições para quem deseja realizar o sonho da casa própria.

Por meio de canais online, como a plataforma digital de vendas, os clientes podem realizar todo o processo de compra de forma remota. Há inclusive testes interativos que auxiliam os namorados a escolherem o imóvel mais indicado ao perfil do casal. De várias maneiras, a vida dos jovens casais tem mudado o perfil do mercado imobiliário e vice-versa.

E foi no clima dessa contemporaneidade que surgiu o relacionamento da Geisica Nunes, assessora de marketing, e Emerson dos Santos, agente de portaria. Juntos desde 2018, eles não possuem uma data oficial, pedido formal e muito menos “assinatura em papel passado”. Geisica conta que a história dos dois aconteceu de forma leve, sem muitas cobranças, até que aos poucos, foram percebendo que já não dava mais para negar que estavam namorando. “Aparecíamos nos lugares sempre um na companhia do outro, passamos a frequentar a casa dos familiares e depois de alguns questionamentos do meu pai, definimos que nossa data oficial seria desde o primeiro beijo”.

Cuidadosa sobre os arranjos financeiros e legais, ela já possuía a intenção de “conquistar a casa própria” quando conheceu Emerson, e assim que a unidade MRV Parque Chapada Cuiabá ficou pronta, decidiram que tinha chegado o momento de continuar vivendo o romance de forma independente, sem uma união formal, como se fosse um “teste drive”. Amantes dos filmes com pipoca, eles afirmam que muitos perguntam quando será o casamento e que até sentem vontade de responder “em breve”, mas entendem a necessidade de pensar nos gastos com calma.

“O foco agora é a dedicação à nossa vida a dois, pois da mesma forma espontânea de quando nos conhecemos, iniciamos essa aventura de morar juntos. Não tínhamos todos os móveis e tudo foi sendo adquirido aos poucos. Agora, queremos deixar o apartamento com o nosso jeito e isso exige planejamento”.

São muito os desafios de começar uma vida a dois e foi pela observação da experiência familiar que os especialistas em deliciosas tapiocas Keisy Santos (20 anos) e Sérgio Moraes (22 anos) estão conquistando o sonho do “apê para chamar de nosso”. O namoro do casal começou na adolescência, em 2015, e desde então foi com muito planejamento que começaram a sonhar com um espaço para morarem juntos. O casal conta que o desejo de comprar uma casa esteve entre eles desde o começo, pois foi por conhecer os desafios de ambas as famílias em manter as moradias no aluguel, que aprenderam rápido a importância da casa própria.

Conhecidos como “o casal do riso solto”, que não perdem um filme de comédia, Keisy e Sérgio, fecharam a compra do primeiro imóvel, uma unidade MRV no residencial Chapada Boulevard, em 2019, e estão com as expectativas de entrega das chaves nas alturas. “As obras estão bastante adiantadas. Nós compramos o apartamento na planta e já fizemos a vistoria! Só de imaginar que os donos dos demais imóveis podem estar fazendo o mesmo e logo teremos nosso apê, chega a dar um frio na barriga”, diz Keisy.

As experiências dos dois casais reforçam uma nova situação no mercado imobiliário: cada vez mais jovens casais buscam por novas alternativas para manter o romance junto com os sonhos da casa própria. Se para Geisica e Emerson o importante foi levar o romance com leveza em forma de “namoridos”, para os jovens Keisy e Sérgio o objetivo foi conquistar o primeiro imóvel sem deixar o amor sofrer em forma de pagamento de aluguel.

Em busca de alternativas e adequações financeiras para os jovens casais, construtoras como a MRV, cada vez mais investem em ferramentas e atrativos para conquistar esse nicho de compradores. “Nos últimos anos, o mercado imobiliário percebeu o potencial do público jovem no desejo em adquirir o primeiro imóvel. Podemos dizer que saímos na frente. A grande oferta de financiamentos e taxas de juros atrativas facilitaram o acesso. O que para outras gerações essa era uma ação muito difícil, ápice de uma carreira, atualmente, para os jovens casais a compra do primeiro apartamento passou a ser uma conquista bem mais fácil”, afirma gestor de vendas da MRV em Mato Grosso, Tacílio Cantarutti.

Serviço – Entre os dias 8 e 12 de junho, os clientes MRV contarão com uma série de vantagens que os ajudarão na conquista do novo lar para compartilhar uma vida a dois, tais como o pagamento facilitado do valor, entrada em até 48 vezes, descontos substanciais, carência de 180 dias para início do pagamento das prestações de financiamentos de imóveis novos, sejam eles na planta ou prontos. Além de análise de crédito online, assinatura de contrato digital e documentação grátis (ITBI, registro, despachante e taxa de relacionamento com a Caixa Econômica Federal).

Sobre a MRV
Ao longo de 40 anos de história transformando a vida de milhares de pessoas por meio da casa própria, a MRV, maior construtora da América Latina, se tornou uma plataforma de soluções habitacionais capaz de fornecer a opção de moradia que melhor se adapte ao momento na vida dos brasileiros, seja  com a aquisição de apartamentos prontos ou na planta, pela  compra de um terreno em loteamentos completamente urbanizados pela Urba, ou mesmo alugando imóveis especialmente pensados, com inúmeros serviços, pela sua startup Luggo, totalmente digital e sem burocracia.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCom 22 dos 24 votos, Botelho é conduzido pela 3ª vez à presidência da ALMT
Próximo artigoMédicos de VG reivindicam pagamento de plantões e verbas indenizatórias