UFMT fica às escuras por não pagar contas de energia

Assessoria da Universidade informou que negociações terão início na tarde desta terça

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) teve o fornecimento de energia elétrica cortado na manhã desta terça-feira (16).

A notícia já chegou ao ministro da Educação, Abraham Weintraub, que, no Twitter, disse conhecer a situação e ter tratado do caso com a reitora Miriam Serra. A reunião entre eles ocorreu no último dia 5.

Por meio da assessoria, a Universidade informou que seis contas estão em atraso – sendo quatro de 2018 e duas de 2019 – e que as negociações com a concessionária Energisa devem ter continuidade nesta tarde.

A assessoria da concessionária, por sua vez, informou ao LIVRE que não pode repassar à imprensa informações financeiras de seus clientes.

No restaurante universitário as atividades ainda não foram interrompidas. Os estudantes, almoçam no escuro (Foto: Suellen Passetto/ O LIVRE)

Nas redes sociais, mensagens circulam afirmando que não só o campus Cuiabá sofreu com o corte no fornecimento. As unidades de Sinop e do Araguaia também já estariam sem energia.

Além das aulas – que devem ser interrompidas por conta da falta de fornecimento – pesquisas desenvolvidas por professores da UFMT estão em risco.

LEIA TAMBÉM

Pesquisas em risco: professores da UFMT vivem incerteza sobre fornecimento de energia

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorJovem entra em rio para salvar esposa e morre afogado
Próximo artigoJustiça libera R$ 3,1 milhões para Bope comprar equipamentos

O LIVRE ADS