UFMT diz que Secid aprovou valor de obras de drenagem de viaduto

Valor cobrado pela UFMT seria alvo de investigação do MP por suspeita de superfaturamento, segundo o secretário Wilson Santos

ufmt-diz-que-secid-aprovou-valor-do-projeto-de-obras-de-drenagem-de-viaduto

O valor do projeto executivo das obras de drenagem do viaduto da UFMT, na avenida Fernando Corrêa da Costa, em Cuiabá, foi aprovado pela Secretaria de Estado de Cidades (Secid).

A afirmação consta em nota da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) em resposta à declaração do titular da Pasta, Wilson Santos (PSDB), acerca de uma investigação que o Ministério Público Estadual (MPE) estaria fazendo no convênio firmado com o governo por conta de uma suspeita de superfaturamento.

Segundo Wilson, o valor passou a ser apurado porque, em geral, o custo dos projetos executivos de obras como esta giram entorno de 2% a 3% do valor total do empreendimento. A UFMT, no entanto, teria cobrado cerca de 10%.

Na nota de esclarecimento, a Universidade pontua que, além do valor do projeto executivo, a Secid recebeu toda uma prestação de contas e que a documentação foi inteiramente analisada e aprovada pela secretaria.

Destaca ainda que o convênio firmado com o governo do Estado previa mais do que apenas a elaboração de um projeto executivo para a obra. Entre os serviços que afirma ter executado, a UFMT destaca um estudo hidrológico do local, levantamento de projetos já existentes para a obra – que deveria ter sido concluída no período da Copa do Mundo de 2014 – e até o apontamento de rotas de fuga para o tráfego de veículos enquanto as obras estiverem sendo executadas.

Ainda segundo a Universidade, o convênio foi firmado por meio da Fundação Uniselva em dezembro de 2015 e o serviço concluído em março deste ano. Esclarecimentos sobre como o trabalho foi desenvolvido já foi encaminhado ao Ministério Público.

“Por fim, a UFMT e a Fundação Uniselva destacam a lisura de suas ações, que são auditadas constantemente pelos órgãos de controle do Governo Federal e estão à disposição da população em seus portais de transparência”, diz trecho da nota.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS