TRF-1 mantém preso lobista investigado por tráfico de cocaína

Juiz Saulo Casali indeferiu argumento de defesa de que ordem de prisão ao empresário Rowles venceu em março

O juiz do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), Saulo Casali, negou habeas corpus ao lobista Rowles Magalhães Pereira da Silva, preso pela Polícia Federal na Operação Descobrimento. 

A defesa do empresário afirmou no recurso que a ordem de prisão, cumprida no dia 19 de abril, venceu em março passado, com um ano de emissão. Ainda que a justificativa dada para o decreto, ameaça dele a supostas testemunhas de tráfico de droga, seria “falaciosa”. 

Rowles Magalhães Pereira da Silva começou a ser investigado em fevereiro de 2020, após a apreensão de mais de meia tonelada de cocaína escondida na fuselagem de um jato, no aeroporto de Salvador (BA). 

O juiz Saulo Casali indeferiu a argumentação com a justificativa de que ao longo da investigação aparecerem fatos subjacentes à hipótese de tráfico de droga considerada pela Polícia Federal. Por exemplo, a movimentação do processo do primeiro para o segundo grau de Justiça. 

“[A ação] se deslocou do primeiro grau em razão do suposto envolvimento de autoridade pública estadual [referência ao ex-secretário Nilton Borgato], em que se busca desvendar o suposto uso de aeronaves privadas para o transporte de toneladas de cocaína, levando a entender por indícios de existência de organização criminosa”, disse. 

É o segundo recurso do lobista Rowles Magalhães Pereira da Silva indeferido pela Justiça, no caso da Operação Descobrimento. Na semana passada, a 2ª Vara Criminal da Bahia negou o pedido de soltura. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior“Gangue do Rolex”: ladrões levam relógios e celulares em cruzamentos de Cuiabá
Próximo artigoLivre de febre aftosa: carne mato-grossense terá abertura para novos mercados